Uma edição que vale por 12. A publicação destaca análises anuais dos principais setores da pecuária brasileira.

Informação com credibilidade há 17 anos!

Recria

Suplementação

Recria

Estratégias para recria de bovinos mantidos em pastagens nas águas

Flávio Augusto Portela Santos*

A utilização de pastagens como único alimento apresenta limitações de ordem nutricional e não nutricional que podem restringir ganhos de peso elevados de bovinos nas fases de recria e terminação. O ganho de peso dos animais a pasto é determinado, principalmente, pela ingestão de nutrientes, a qual é determinada pelo consumo de forragem. O consumo de forragem é limitado por fatores comportamentais do animal (frações do dia pré-destinadas a atividades de ruminação, ócio e pastejo) e por fatores relacionados diretamente com o manejo do pasto, como a oferta de forragem, a estrutura do pasto e a composição química da forragem.

Figura 1 - Consumo de forragem (r2=0,66) e total de matéria seca (r2=0,35) em função de níveis de suplementação no período das águas consumindo FAQ. Efeito de nível de suplementação (P=0.0001), efeito da qualidade da forragem (P=0.0007), efeito da interação qualidade da forragem *níveis de suplementação (P=0.0081)

Recria

O avanço do conhecimento de práticas de manejo de pastagens tropicais tem sido expressivo, entretanto, animais mantidos em pastagens tropicais bem manejadas não são capazes de expressarem todo seu potencial de ganho de peso. Isso se deve ao gasto energético com a atividade de pastejo e a restrições na ingestão de energia, seja por limitações na colheita de forragem e/ou por efeito de enchimento ruminal.

Nesse sentido, mecanismos que reduzam as limitações impostas por esses fatores, como o uso da suplementação com alimentos con...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante desta revista, clique Aqui e Assine Agora!