Uma edição que vale por 12. A publicação destaca análises anuais dos principais setores da pecuária brasileira.

Informação com credibilidade há 17 anos!

Bezerros

Ciclo de alta se aproxima

Breno de Lima*

Entre 2014 e 2016, o volume de fêmeas destinadas ao abate caiu. Essa retenção de fêmeas foi motivada pelos bons preços dos bovinos para reposição à época, que desencadeou em uma maior produção de bezerros que chegaram ao mercado a partir de 2016/2017/2018.

Bezerros

Figura 1 - Cotação da arroba do boi gordo (eixo da esquerda) e cotação por cabeça do bezerro de desmama ([email protected]) (eixo da direita) em São Paulo

Considerando um período de 24 meses entre gestação, amamentação e comercialização, 2018 foi o último ano de incremento de oferta de bezerros, fruto dessas fêmeas retidas.

O último ano terminou com as cotações nos mercados do boi gordo e a reposição se recuperando e voltando para os mesmos patamares pré-Carne Fraca.

No primeiro semestre de 2018, os preços caíram, porém dentro da normalidade, sem grandes oscilações.

Com a cotação da arroba do boi gordo em queda e com a maior disponibilidade de bezerros, as cotações no mercado de reposição também cederam na primeira metade do ano.

O que chamou a atenção foi que, devido à disparada nas cotações do milho, a terminação de bovinos em confinamento no primeiro giro não apresentou resultados econômicos atraentes, e menos animais foram confinados.

Com menos animais confinados e com as pastagens sentindo os efeitos do período seco, a partir de julho, diminuiu a quantidade de boiadas ofertadas no mercado, e as cotações entraram em trajetória de alta.

Pegando carona com o boi gordo, as cotações do mercado de reposição seguiram o mesmo caminho.

Entretanto, diferentemente de 2017, neste ano, o volume de negócios no mercado de reposição foi maior devido ao adiantamento da chegada das chuvas, o que fez com que os pastos...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante desta revista, clique Aqui e Assine Agora!