Uma edição que vale por 12. A publicação destaca análises anuais dos principais setores da pecuária brasileira.

Informação com credibilidade há 17 anos!

Santo Capim

PRAGAS: CIGARRINHAS QUE ATACAM PASTAGENS (Parte 1)

Santo

Adilson de Paula Almeida Aguiar é zootecnista, investidor nas atividades de pecuária de corte e leite, professor de Forragicultura e Nutrição Animal e Consultor Associado da Consupec - Consultoria e Planejamento Pecuário Ltda.

As pastagens, como qualquer outra cultura cultivada pelo homem, são atacadas por pragas. Elas são classificadas como ocasionais – cochonilha-da-pastagem, lagarta- dos-capinzais e percevejo- das-gramíneas – e gerais – cupins, formigas, gafanhotos, percevejo-castanho-das-raízes e larva de besouro escarabeídeo –, mas a praga específica da pastagem é a cigarrinha. São as que mais causam danos e prejuízos econômicos à atividade de produção animal em pasto.

Definição: as cigarrinhas são insetos da ordem Homoptera, da família Cercopidae. São sugadoras apenas de gramíneas (capins). Sugam a seiva na fase imatura e são toxicogênicos na fase adulta, à exceção das cigarrinhas-dos- -canaviais, cujas ninfas também são toxicogênicas. Todas as cigarrinhas de pastagens são autóctones, ou seja, nativas.

Ciclo de vida: as cigarrinhas são insetos que se desenvolvem por hemimetabolia (fases ovo – ninfa – adulto), passando pelas seguintes etapas:

1) Eclosão das ninfas provenientes de ovos em diapausa no início das chuvas, mas pode ocorrer o ano inteiro em regiões com chuvas distribuídas ao longo do ano e em pastagens irrigadas;

2) As ninfas se alojam na base da touceira da planta, junto ao solo, produzem uma espuma branca por meio da glândula de Bateli, que as protege de dessecação solar e do controle de inseticidas químicos.

3) Em média, o ciclo de vida compreende os seguintes períodos: incubação – 15 dias; ninfal – 35 dias; pré-ovoposição – três dias; adultos – d...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante desta revista, clique Aqui e Assine Agora!