Como ter mais segurança do trabalho no meio rural?

Equipamento de Segurança
Embrapa

Uma questão importante no ambiente rural é a segurança do trabalho dos funcionários que executam diversas atividades dentro deste setor. Elas podem estar relacionadas ao cultivo, pecuária, serviços de reflorestamento ou cortes. Não importa a área, uma vez que os riscos que essas atividades oferecem podem ser muito prejudiciais para a saúde dos trabalhadores.

Por isso, é fundamental que os funcionários sejam treinados para a lida diária das funções, assim como os proprietários dessas zonas. Em função disso, criamos um conteúdo comentando sobre como ter mais segurança no meio rural e como devemos proceder as partidas das normas de segurança e saúde dentro de uma empresa rural.

As normas de segurança

Principalmente depois do avanço tecnológico e da necessidade de se produzir em alta escala, o aumento do número de acidentes com máquinas e equipamentos, incêndios, contaminações e ambientes em condições higiênico-sanitárias reduzidas tem se tornado um problema enorme devido à falta de instrução e de preparo de quem está envolvido nisso diariamente.

Hoje, a Norma Regulamentadora de Segurança e Saúde no Trabalho na Agricultura, Pecuária, Silvicultura, Exploração Florestal e Aquicultura, também conhecida como NR-31, foi editada pelo Ministério do Trabalho e Emprego em março de 2005, e está aí para tentar equilibrar e trazer menos preocupação com os envolvidos no meio.

Essa regulamentação deve ser levada com respeitabilidade, já que a magnitude do não cumprimento das leis podem causar consequências negativas para agronegócio. Quem estiver trabalhando em condições que não sejam as descritas pelas normas, por exemplo, pode ter créditos cortados em bancos.

Confira a norma completa aqui!

Riscos da ausência de segurança no trabalho

  • riscos físicos: cãibras, síncopes, câncer de pele e até mesmo amputações acidentais podem acontecer, se o trabalhador não tiver o preparo correto para a atividade;
  • riscos químicos: o uso de fertilizantes e outros produtos químicos nas lavouras, por exemplo, podem causar danos na pele, na boca, em olhos e nariz de quem entrar em contato com os produtos sem os equipamentos necessários. Válido lembrar que esses danos são irreparáveis e podem causar até mesmo a morte;
  • riscos biológicos: causados principalmente pela exposição do trabalhador com animais infectados e/ou peçonhentos, partículas de grãos armazenados, pólen e detritos de origem animal;
  • riscos mecânicos: falta de conhecimento adequado do manuseio de máquinas e ferramentas podem gerar acidentes fatais com quem trabalha sem as instruções necessárias.

A utilização de Equipamentos de Proteção Individual

Uma questão que é muito falada no âmbito da segurança do trabalho no meio rural é o uso dos equipamentos de proteção individual. Prevista por lei devendo e obrigatoriamente fornecida por empregador rural ou equiparado, os chamados EPIs são todos os aparatos e vestimentas que providenciem proteção para o servidor no campo.

Luvas para cobrir as mãos, máscaras protetoras ou respiradores, capacetes, óculos de proteção ou viseira, jaleco com contrafortes adequados e calçados de segurança devem ser feitos a partir de um material resistente e impermeável para que o trabalhador não fique exposto à contaminação, variando de acordo com o ramo rural que a atividade está sendo exercida.

Entendendo um pouco mais sobre como ter mais segurança do trabalho no meio rural, fica mais fácil de saber quais são os riscos e quais as providências devem ser tomadas para melhorar a qualidade do ofício dentro do seu agronegócio. Comente conosco o que achou do conteúdo e lembre-se de saber mais do universo agrícola na Revista A Granja.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *