A importância da geoestatística na agricultura de precisão

semente brotando da terra
Fonte: Pexels

Como já falamos outras vezes aqui no blog, o Brasil é um dos maiores produtores de agricultura e pecuária do mundo e, por causa disso, existe uma grande preocupação dos produtores em manter a qualidade de seus produtos, partindo principalmente dos cuidados com os seus solos.

Uma técnica voltada para avaliar o ambiente através de seus atributos químicos e físicos é a geoestatística. Com ela, é possível criar um mapeamento de produtividade dos solos do negócio, focado em garantir um aumento na produção alimentar de forma sustentável para todos.

Este é um assunto que interessa a você? Então, continue lendo, porque abaixo vamos trazer diversas informações sobre a importância da geoestatística na agricultura de precisão. Vamos conferir?

Como surgiu a geoestatística?

A geoestatística é uma tecnologia considerada bem nova, uma vez que foi na África do Sul, em 1951, que Danie G. Krige, um estatístico e engenheiro de minas, descobriu uma maneira de analisar as amostras de ouro que possuía através das variações. Ele percebeu que era preciso levar em conta a distância entre as amostras, considerando a localização geográfica e a dependência espacial. Mas foi 1965 que o estudioso Matheronem colocou essa ideia em termos matemáticos e desenvolveu a geoestatística como conhecemos hoje.

Para entendermos melhor, podemos dizer que a geoestatística é uma ferramenta que se apropria de diversas regionalidades para criar previsões e estimativas de locais que ainda não foram amostrados. Com isso, é possível estimar valores ideais dos solos através da extração de dados disponíveis no ambiente, não limitando-se a um único modelo de dependência espacial.

Como usar a geoestatística na agricultura de precisão?

Considerada uma técnica de compreensão e melhoramento das condições dos atributos do solo, a agricultura de precisão é uma maneira de mapear as variações de áreas cultivadas nas zonas agrícolas. Desse modo, juntamente com a geoestatística, a agricultura de precisão tenta diminuir os custos do agricultor e aumentar a produtividade das culturas.

Com isso, também conseguimos mapear as variações de fertilidade e entender mais sobre o grau de compactação dentro das áreas cultivadas. Como já dissemos, a maneira de analisar essa questão é através de amostragens do solo.

Aprenda sobre agricultura de precisão: história, boas práticas e muito mais!

Quais objetivos da geoestatística na agricultura de precisão?

A grande ideia da geoestatística em conjunto com a agricultura de precisão é aumentar a produtividade das culturas sem ter que empregar mudanças físicas nas áreas cultivadas pelos produtores. No caso de produção de grãos, essas tecnologias entram para melhorar:

  • os sistemas de plantio direto, o cultivo mínimo e a interação lavoura-pecuária-
  • floresta em rotação de culturas;
  • a genética das plantas;
  • o estímulo biológico das culturas;
  • e aumentar os microrganismos benéficos dos endofíticos.

Sabendo um pouco mais sobre a geoestatística na cultura de precisão, fica mais fácil melhorar o seu cultivo e cortar os custos de suas produções! A dica é não ter medo de incorporar essa tecnologia na rotina agrícola, já que muitos programas de análise estão mais fáceis de usar! Ainda sobre o assunto, confira o nosso conteúdo sobre o uso de tecnologia em sementes para ter um um plantio ainda melhor! Vemos você por lá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *