Como ter mais segurança do trabalho no meio rural?

Equipamento de Segurança
Embrapa

Uma questão importante no ambiente rural é a segurança do trabalho dos funcionários que executam diversas atividades dentro deste setor. Elas podem estar relacionadas ao cultivo, pecuária, serviços de reflorestamento ou cortes. Não importa a área, uma vez que os riscos que essas atividades oferecem podem ser muito prejudiciais para a saúde dos trabalhadores.

Por isso, é fundamental que os funcionários sejam treinados para a lida diária das funções, assim como os proprietários dessas zonas. Em função disso, criamos um conteúdo comentando sobre como ter mais segurança no meio rural e como devemos proceder as partidas das normas de segurança e saúde dentro de uma empresa rural.

As normas de segurança

Principalmente depois do avanço tecnológico e da necessidade de se produzir em alta escala, o aumento do número de acidentes com máquinas e equipamentos, incêndios, contaminações e ambientes em condições higiênico-sanitárias reduzidas tem se tornado um problema enorme devido à falta de instrução e de preparo de quem está envolvido nisso diariamente.

Hoje, a Norma Regulamentadora de Segurança e Saúde no Trabalho na Agricultura, Pecuária, Silvicultura, Exploração Florestal e Aquicultura, também conhecida como NR-31, foi editada pelo Ministério do Trabalho e Emprego em março de 2005, e está aí para tentar equilibrar e trazer menos preocupação com os envolvidos no meio.

Essa regulamentação deve ser levada com respeitabilidade, já que a magnitude do não cumprimento das leis podem causar consequências negativas para agronegócio. Quem estiver trabalhando em condições que não sejam as descritas pelas normas, por exemplo, pode ter créditos cortados em bancos.

Confira a norma completa aqui!

Riscos da ausência de segurança no trabalho

  • riscos físicos: cãibras, síncopes, câncer de pele e até mesmo amputações acidentais podem acontecer, se o trabalhador não tiver o preparo correto para a atividade;
  • riscos químicos: o uso de fertilizantes e outros produtos químicos nas lavouras, por exemplo, podem causar danos na pele, na boca, em olhos e nariz de quem entrar em contato com os produtos sem os equipamentos necessários. Válido lembrar que esses danos são irreparáveis e podem causar até mesmo a morte;
  • riscos biológicos: causados principalmente pela exposição do trabalhador com animais infectados e/ou peçonhentos, partículas de grãos armazenados, pólen e detritos de origem animal;
  • riscos mecânicos: falta de conhecimento adequado do manuseio de máquinas e ferramentas podem gerar acidentes fatais com quem trabalha sem as instruções necessárias.

A utilização de Equipamentos de Proteção Individual

Uma questão que é muito falada no âmbito da segurança do trabalho no meio rural é o uso dos equipamentos de proteção individual. Prevista por lei devendo e obrigatoriamente fornecida por empregador rural ou equiparado, os chamados EPIs são todos os aparatos e vestimentas que providenciem proteção para o servidor no campo.

Luvas para cobrir as mãos, máscaras protetoras ou respiradores, capacetes, óculos de proteção ou viseira, jaleco com contrafortes adequados e calçados de segurança devem ser feitos a partir de um material resistente e impermeável para que o trabalhador não fique exposto à contaminação, variando de acordo com o ramo rural que a atividade está sendo exercida.

Entendendo um pouco mais sobre como ter mais segurança do trabalho no meio rural, fica mais fácil de saber quais são os riscos e quais as providências devem ser tomadas para melhorar a qualidade do ofício dentro do seu agronegócio. Comente conosco o que achou do conteúdo e lembre-se de saber mais do universo agrícola na Revista A Granja.

Adubo foliar é vantajoso para o agricultura?

Adubo Foliar
Revista A Granja

Um fator é essencial para o crescimento ideal das culturas: nutrição equilibrada e adequada às necessidades de cada tipo de planta. A grande questão é como podemos fazer isso, de uma maneira simples e que favoreça a rentabilidade do negócio?

Será a partir do adubo foliar, também conhecido como fertilizante especial, que poderá dar toda a estrutura necessária para que não aconteçam grandes problemas durante as épocas do plantio e para que as plantas cresçam saudáveis e fortes para a colheita.

Essa técnica moderna está ganhando espaço nas lavouras do mundo afora, mas mesmo assim gera dúvidas sobre o seu uso. Por causa disso, nós, da Revista A Granja, viemos explicar: afinal, o adubo foliar é vantajoso para a agricultura? Está pensando em aderir a este método altamente desenvolvido e buscando por informações? Então, continue lendo este conteúdo que vamos explicar diversas dúvidas sobre o assunto.

O que é o adubo foliar?

Indo além da adubação convencional, o adubo foliar também é conhecido como adubo de eficiência aumentada. Este nome vem em função dos produtos que aparecem em sua composição. Ou seja, o adubo foliar funciona como uma tecnologia que garante o melhoramento da produtividade de uma lavoura.

Além disso, o produto, que é despejado justamente nas folhas dos plantios, visa garantir a redução dos processos de perdas e a segregação de nutrientes. Para aumentar a eficiência da produção e melhoramento do proveito dos substanciais nas folhas, esse fertilizante especial contribui para o aprimoramento nutritivo das plantas deixa-as mais bonitas e vistosas.

Contudo, é importante entender quais são as limitações do seu sistema e das condições do solo da sua lavoura. Uma vez que a exigência nutricional, a disponibilidade hídrica e o momento adequado para o inserção do produto são fundamentais para a correção adequada que deve ser implementada.

Como funciona a aplicação do produto?

Como os fertilizantes especiais são produtos químicos incisivos, é muito importante saber aplicar corretamente a liberação dos nutrientes. Entre as práticas, o ideal é deixar um intervalo de tempo para que a tecnologia faça efeito gradualmente e melhore a tomada de decisão com relação aos seus produtos.

Para aplicar um adubo foliar em seus cultivos, basta utilizar um equipamento que borrife o produto sobre as plantas. Dessa maneira, os resultados serão mais assertivos e o risco de desperdício será baixo. Também é possível utilizar irrigação por gotejamento para facilitar a aplicação. Mas lembre-se de que esse processo irá aplicar fertilizantes na raiz dos cultivos e não sobre as folhas.

Quer entender mais sobre o método? Saiba tudo sobre Irrigação por gotejamento

Então, o que achou de saber sobre o adubo foliar? Ele é realmente vantajoso para a agricultura, não é mesmo? Se você irá certamente adotar esse manejo, não esqueça de utilizar os insumos aprovados cientificamente e fique atento ao momento ideal da aplicação.

Nós, da Revista A Granja, esperamos que tenha gostado do nosso conteúdo. Confira o nosso blog para saber mais informações sobre agricultura. Esperamos você por lá. Até o próximo post.