5 vantagens da inseminação artificial em bovinos de corte

A inseminação artificial em bovinos ainda não faz parte da rotina da maioria dos pecuaristas no Brasil. Existem diversos fatores que devem ser levados em conta para que a inseminação artificial em bovinos seja realizada com sucesso e que o investimento, de fato, valha a pena.

Culturalmente, os produtores brasileiros têm a tendência de dar bastante importância para as qualidades genéticas adquiridas por meio da monta natural, o que geralmente começa em outubro e termina no mês de março.

Mas, para desmistificar essa ideia, a equipe da Revista AG elencou cinco principais vantagens de adotar o método, de acordo com o médico veterinário e sócio-proprietário da Assessoria Agropecuária FF Velloso & Dimas Rocha.

Vantagens da inseminação artificial

  1. O método permite o uso de touros geneticamente superiores à média das raças, o que propicia o melhoramento genético do rebanho, como um todo;
  2. A fazenda pode definir qual o cruzamento desejado, sem necessariamente possuir touros de diferentes raças;
  3. Ao utilizar a inseminação artificial, elimina o custo de manutenção do touro;
  4. Redução do custo final de prenhez, se comparado a sistemas somente com monta natural;
  5. A inseminação em bovinos possibilita diminuir o intervalo entre um parto e outro, aumentando a produtividade da fazenda.

Para que essas vantagens sejam efetivas, é interessante que você, pecuarista, se utilize da tecnologia de Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF), utilizado na maior parte dos programas de inseminação no país (cerca de 80%).

A técnica promove a sincronização da ovulação das fêmeas após a administração de medicamentos em dias predeterminados, sem a necessidade de se observar o cio.

Pontos aos quais o produtor deve estar atento

Levantamos também alguns erros que você deve evitar para garantir a qualidade da sua produção:

  • Não organizar os botijões de sêmen e não verificar a qualidade do mesmo;
  • Não verificar o funcionamento dos troncos de contenção e dos descongeladores de sêmen, dos equipamentos, como o ultrassom;
  • Não programar as vacinações e o controle de endo e ectoparasitas para que esses manejos não se sobreponham aos do processo de Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF);
  • Não investir na capacitação de recursos humanos.

Para adotar a inseminação artificial com sucesso na sua fazenda é preciso que os quesitos de nutrição, manejo, instalações, mão de obra e nível de envolvimento da equipe estejam todos impecáveis. Controle sanitário também é imprescindível.

Entenda a importância do planejamento sanitário

Nosso objetivo foi esclarecer alguns mitos e estimular a inseminação artificial na produção de bovinos para corte. Qualquer dúvida deixe uma mensagem para a nossa equipe na caixa de comentário abaixo.

Esperamos que as nossas dicas tenham sido úteis para você! Até o próximo post.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *