Silagem de milho é realmente uma boa opção para o seu negócio?

Exemplo de como fica a silagem de milho pronta.
Fonte: MikPoint

A importância da alimentação na pecuária está diretamente ligada com a qualidade e a quantidade dos produtos derivados do gado e no custo de produção destes produtos. A silagem já é conhecida pelos pecuaristas como a melhor opção por custo-benefício para a alimentação dos animais. Mas, é vantajoso para você conhecer as demais possibilidades, como a silagem de milho, que vamos explicar hoje. Confira!

A silagem de milho é uma boa opção?

O milho é a planta mais utilizada na ensilagem, justamente por ser mais adequada para o processo de produção da silagem — seguido pelo sorgo — pois a produção de matéria seca é maior que as demais opções, assim como a capacidade de fermentação e o notável resultado final que a silagem de milho proporciona na nutrição dos animais e na redução de custos com alimentação.

Essa preferência pela utilização do milho acontece por causa da composição bromatológica da planta, que cumpre todos os critérios necessários para que se consiga uma silagem de qualidade para os animais. Esses critérios, são:

  • valor entre 30% e 35% para o teor da matéria seca (MS);
  • valor mínimo de 3% de carboidrato solúvel em matéria original;
  • ótimo resultado com fermentação microbiana;
  • praticidade e alto volume de produção;
  • o consumo costuma ser espontâneo pelos animais;
  • entre outros.

Por todas essas vantagens que a silagem de milho apresenta, realmente é uma boa opção para o seu negócio. Principalmente para períodos de escassez, é possível suprir as deficiências na alimentação dos animais com a silagem de milho, que também ajuda a melhorar o valor nutricional da dieta deles.

A outra vantagem é a redução de gastos, já que você vai investir menos em concentrados e terá a produção de alimento, até mesmo nos períodos impróprios para a pastagem.

Quais as etapas para fazer a silagem de milho?

Uma boa e eficiente produção de silagem de milho precisa passar por três etapas indispensáveis no processo completo:

  • colheita: nesta etapa é preciso ter certos cuidados, pois a sementes que são usadas para a forragem precisam ser manuseadas adequadamente para que a qualidade nutritiva e o volume da produção sejam efetivos;
  • compactação: nesta fase se remove o espaço entre as partículas da silagem através da retirada do oxigênio. A compactação se torna eficiente a partir do teor de MS da planta e, como vimos no início, o milho é a opção com melhor valor de matéria seca.
  • armazenamento: a umidade do ar e o oxigênio são responsáveis por acelerar a decomposição da silagem, por isso é extremamente importante que a compactação e o armazenamento sejam bem-feitos. Assim, a silagem é mantida bem guardada e com durabilidade muito maior.

Todas as etapas para a produção de silagem do milho precisam ser realizadas com cuidados e responsabilidade porque elas se complementam, ou seja, os resultados eficientes de uma silagem de qualidade dependem da otimização de todo o processo.

Para proporcionar a alimentação adequada para os seus animais, aproveite e leia o conteúdo: Suplemento mineral para bovinos: o que é e quais benefícios? Boa produção e até a próxima dica, aqui, no blog da Revista AG!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *