A Granja do Ano – 36 anos da melhor prestação de informações e serviços ao profissional do campo.

Radiografia das principais atividades agrícolas, relação de instituições e empresas do agronegócio brasileiro.

Destaques 2020 - BANCOS - Bradesco

O agro tratado com crédito

O Bradesco oferece todo o suporte a produtores e criadores nas Plataformas do Agronegócio

Quais são as soluções em produtos e serviços do Bradesco aos agricultores e pecuaristas brasileiros no ano agrícola 2020/2021?

O Bradesco possui um portfólio completo de produtos e serviços para o agronegócio visando atender à necessidade de todo tipo de produtor. Essas soluções contemplam custeios agrícolas e pecuários, investimento, comercialização e industrialização, e vão desde o Pronaf, para os agricultores familiares; o Pronamp, para médios produtores; e a CPR financeira, para grandes produtores. Além do atendimento à agricultura empresarial, por meio do nosso Banco de Atacado.

Nesse sentido, o que o Bradesco – considerado o maior banco privado do agronegócio brasileiro – oferece de diferente das demais instituições aos produtores e criadores?

Possuímos atendimento especializado nas principais regiões de agronegócio brasileiro, com um quadro de gerentes treinados e preparados para o atendimento aos clientes desse setor. O Bradesco possui também estrutura de Plataformas do Agronegócio, que dão suporte técnico aos clientes do banco, inclusive com engenheiros-agrônomos. Atualmente, possuímos 14 plataformas em operação, espalhadas pelo Brasil, incluindo uma plataforma Atacado (de atendimento a grandes empresas). Nossas plataformas contam com equipes de gerentes especialistas em agronegócio, além de equipe de suporte baseados na matriz do banco. Possuímos, também, acordos com as principais empresas do setor para o financiamento das cadeias produtivas, inclusive com plataforma digital para indicações de negócios que agilizam o processo de aprovação de crédito.

E que importância o Bradesco enxerga no agronegócio brasileiro dentro de seus negócios?

O agronegócio no Bradesco vem desde sua origem, no interior de São Paulo, com apoio e sustentação à expansão da cultura do café, entre outras culturas, acompanhando as famílias de agricultores ao longo dos anos. O crescimento dos negócios no setor aconteceu em conjunto com a própria relevância e expansão do agronegócio. E, para um melhor atendimento ao setor, o Bradesco investiu em treinamento e especialização, aprimoramento de seus processos e criação de estruturas, como no estabelecimento das plataformas, que são estrutura recente.

Que efeitos a pandemia proporcionou na relação entre o banco e os produtores e criadores, sobretudo no âmbito digital?

A pandemia acelerou fortemente melhorias de processos internos, o desenvolvimento de soluções digitais e intensificou a interação virtual com os nossos clientes produtores. Temos participado de várias lives, feiras agrícolas virtuais, sempre no sentido de proporcionarmos o conteúdo adequado para os nossos clientes produtores rurais, visando às melhores decisões em financiamentos do agronegócio.

Que incentivos o Bradesco oferece à agricultura sustentável, a exemplo, em sua participação na Associação Rede ILPF?

Temos estudado várias alternativas visando ao incentivo às práticas sustentáveis dentro do agronegócio, inclusive participando na estruturação de fontes alternativas e de longo prazo para ampliação da agricultura sustentável. Recentemente, o Bradesco, o Itaú Unibanco e o Santander lançaram plano conjunto para promover o desenvolvimento sustentável da Amazônia. A proposta elaborada pelos bancos inclui dez medidas que entram agora em fase de detalhamento para implementação ainda em 2020. Nesse mesmo contexto, desde 2015, o Bradesco integra a Associação Rede ILPF (entidade criada dentro da Embrapa) que visa apoiar o fomento da produção com técnicas avançadas de integração de culturas agropecuárias.