A Granja do Ano – 36 anos da melhor prestação de informações e serviços ao profissional do campo.

Radiografia das principais atividades agrícolas, relação de instituições e empresas do agronegócio brasileiro.

Destaques DEFENSIVOS QUÍMICOS-Corteva Agriscience

Segurança para defender a produção

Corteva investe US$ 1,2 bilhão por ano em pesquisa e desenvolvimento de produtos – US$ 200 milhões direcionados ao mercado brasileiro

Quais as mais recentes soluções apresentadas pela Corteva aos produtores brasileiros na área de proteção de cultivos?

Este ano, a Corteva Agriscience tem intensificado a atuação nos setores de cana-de-açúcar e de pastagem, além dos mercados mais tradicionais, como de soja e milho. No mercado de cana-de-açúcar, lançamos o defensivo agrícola Revolux, que combate a principal praga que afeta as lavouras, a broca-da-cana. Já na área de pastagem, lançamos a Tecnologia Ultra- -S, uma solução altamente concentrada que permite o uso de doses menores de herbicida por área. Cabe reforçar que lançamos a tecnologia Colex-D, novo herbicida à base de 2,4-D colina e muito utilizado na cultura da soja. Entre os seus diferenciais, destaque para redução de deriva e odor, ultrabaixa volatilidade e facilidade no manuseio, além do controle efetivo de plantas daninhas.

Quais são as boas práticas agrícolas incentivadas pela Corteva junto aos seus clientes para a obtenção de melhores resultados?

A Corteva mantém um robusto programa, sendo a principal iniciativa a Expedição da Agricultura para a Vida, um projeto educativo que tem como objetivo disseminar boas práticas agrícolas. Por meio de um caminhão com baú adaptado para o formato de uma sala de aula, o projeto percorre diversos estados do País promovendo treinamentos técnicos para agrônomos, consultores e profissionais que lidam com a lavoura. Há também o Programa de Aplicação Responsável (PAR), que treina agricultores na aplicação de defensivos. Além desses, integram ainda o Programa de Boas Práticas da companhia os projetos sociais Corteva Natureza, Corteva Mulheres no Campo e Corteva Escola.

Em um momento atípico como este, em que a pandemia obrigou o distanciamento, quais estratégias a Corteva vem utilizando para se manter próxima dos produtores?

A companhia promoveu diversas ações virtuais, discutiu os mais variados assuntos, como perspectivas de mercado, manejo e agricultura digital, interações on-line com consultores, realizou pelo menos três lançamentos on-line e até mesmo uma palestra com o técnico Bernardinho, com o intuito de levar motivação e inspiração a todos. Além disso, por conta das ações de combate à Covid-19, o principal programa de Boas Práticas Agrícolas da Corteva, a Expedição da Agricultura para a Vida, está impossibilitada de circular pelo Brasil com seu caminhão. Por isso, a empresa promoveu webinars com o time de especialistas do projeto para continuar compartilhando esse conteúdo importantíssimo para o setor. Para contribuir com o trabalho do produtor rural, que precisa ir a campo para acompanhar suas lavouras, a Granular, braço de agricultura digital da Corteva, disponibilizou gratuitamente a ferramenta Granular Insights durante alguns meses. A ferramenta permite acompanhar a lavoura a distância, compartilhar informações com os parceiros de confiança e ajuda na tomada de decisão mais assertiva.

Quais são os projetos e investimentos de destaque da Corteva no Brasil ainda em 2020 e em 2021?

Além dos lançamentos já citados, destaco outras três importantes inovações na área de grandes culturas para os mercados de fungicidas e herbicidas planejados para 2021. Cabe lembrar que todos os anos a Corteva investe, globalmente, US$ 1,2 bilhão em pesquisa e desenvolvimento de novos produtos. Desse total, US$ 200 milhões são destinados para o mercado brasileiro.