A Granja do Ano – 36 anos da melhor prestação de informações e serviços ao profissional do campo.

Radiografia das principais atividades agrícolas, relação de instituições e empresas do agronegócio brasileiro.

Destaques 2020 PECUÁRIA DE CORTE - CFM

Seleção que reforça a pecuária brasileira

Melhoramento genético promovido pela CFM é voltado para características como fertilidade, ganho de peso a pasto e qualidade de carcaça

Quais são as principais contribuições da CFM para o crescimento da pecuária brasileira?

A CFM é uma empresa centenária, com atuação em pecuária de corte, setor sucroenergético e florestas plantadas. Procuramos ser muito eficientes em todas as atividades, tanto em termos de produtividade quanto de respeito ao meio ambiente e às pessoas. Na pecuária, a principal contribuição da CFM está no melhoramento genético da raça Nelore. São décadas selecionando animais que se destaquem na fertilidade, precocidade sexual, ganho de peso a pasto e qualidade de carcaça. O programa de melhoramento genético da CFM surgiu em 1980 e, desde então, carrega a marca do pioneirismo nos métodos de seleção. Foi o primeiro programa da raça Nelore aprovado pelo Ministério da Agricultura para emissão de CEIP, o Certificado Especial de Identificação e Produção. A CFM também foi pioneira no desafio de prenhez de novilhas aos 18 e depois aos 14 meses de idade, liderando o movimento da pecuária em direção à precocidade sexual da raça Nelore. E como resultado de todo esse trabalho, a CFM já produziu mais de 42 mil touros, vendidos para as mais diversas regiões do País.

Quais foram os resultados do Megaleilão realizado no dia 6 de agosto? E como avalia essa versão virtual do evento?

O 22º Megaleilão Nelore CFM repetiu o sucesso dos anos anteriores. Em formato virtual pela primeira vez, cumpriu os seus objetivos de colocar à disposição do mercado nossos melhores reprodutores nascidos em 2018, somando um faturamento de mais de R$ 8 milhões. Foram comercializados 695 touros Nelore CEIP pelo preço médio de R$ 12 mil. No total, 80 criadores fizeram negócios, confirmando o bom momento da pecuária e a valorização da genética CFM. Aliás, a fidelidade dos clientes é um fator que nos enche de satisfação: 60% das vendas de touros CFM são feitas para criadores que estão voltando às compras, porque testaram a aprovaram nossa genética. As vendas agora continuam nas fazendas São Francisco (Magda/SP) e Lageado (Dois Irmãos do Buriti/ MS), e já temos mais um leilão sendo preparado, o leilão virtual CFM Bulltrade, que vai ocorrer em outubro.

Recentemente, a CFM anunciou a introdução da genômica na seleção de reprodutores. O que essa inovação representa para a empresa?

Os processos de avaliação genética são muito dinâmicos, e, nos últimos anos, a pesquisa evoluiu muito, especialmente na área da genômica. Começamos a investir em genômica em 2002, em parceria com os professores José Bento Ferraz e Joanir Pereira Eler, geneticistas da USP Pirassununga. Desde então, construímos um robusto banco de dados de informações genômicas de nosso rebanho, condição imprescindível para que a nova tecnologia trouxesse ganhos reais à seleção. Assim, a partir de agora, passamos a usar informações genômicas na seleção da raça Nelore. Isso quer dizer que, além dos dados coletados a campo, a avaliação genética utilizará informações sobre os genes dos animais para o cálculo das DEPs (diferenças esperadas na progênie), inovação que agregará ainda mais confiabilidade à seleção da CFM. Em termos práticos, a genômica contribuirá bastante para a seleção dos touros jovens da CFM. Touros nascidos em 2018, por exemplo, que estão sendo comercializados agora em 2020, contam com DEPs tão confiáveis quanto as de touros que já tem 10 a 20 filhos avaliados. Sem a genômica, seriam necessários mais três anos de trabalho para obter DEPs tão precisas