A Granja do Ano – 37 anos da melhor prestação de informações e serviços ao profissional do campo.

Radiografia das principais atividades agrícolas, relação de instituições e empresas do agronegócio brasileiro.

Suínos

Decolagem nos portos

A previsão é que as vendas externas de carne suína cresçam 33% em 2020. E, assim, a produção doméstica deverá ser 6,5% superior à do ano anterior, chegando a 4,2 milhões de toneladas

Leonardo Gottems

As exportações estão fazendo com que o mercado de carne suína do Brasil cresça cada vez mais, independentemente da situação econômica do País ou até das questões de saúde relacionadas à pandemia do novo coronavírus. De acordo com a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), essas vendas podem melhorar ainda mais neste ano, com crescimento de cerca de 33% até o final de 2020, ou 1 milhão de toneladas, contra as 750 mil toneladas exportadas em 2019.

Somente até junho de 2020, as exportações totalizaram cerca de 479 mil toneladas, ante 350 mil do período de 2019, o que representa um acréscimo de 37% nas vendas. Na questão das receitas obtidas com esses embarques, a comercialização no primeiro trimestre do ano rendeu o equivalente a mais de R$ 1 bilhão, contra pouco mais de R$ 700 mil, aumento de mais de 52%.

Entre os principais destinos, a China se destaca com 49% das compras, ou 231 mil toneladas, seguida por Hong Kong, que adquiriu 20%, ou 93 mil toneladas; e Singapura, que comprou 6%, ou 28 mil toneladas. A China movimentou, em 2019, 44% do mercado mundial de suínos. Além das aquisições do Brasil, comprou 47% da produção do Canadá, 56% da produção da União Europeia e 36% da produção dos Estados Unidos, de acordo com informações da ABPA, citando dados do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), do Eurostat e do Statistics Canada.

“A Ásia é o grande drive das exportações internacionais, não apenas do Brasil. A lacuna deixada pela peste suína africana na produção dos países asiáticos e no trade global continuará a ditar o comportamento das exportações brasileiras e dos demais exportadores internacionais de aves e de suínos”, ressal...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante desta revista, clique Aqui e Assine Agora!