A Granja do Ano – 37 anos da melhor prestação de informações e serviços ao profissional do campo.

Radiografia das principais atividades agrícolas, relação de instituições e empresas do agronegócio brasileiro.

Frutas

E o melão partiu rumo à China

A pandemia despertou temores do segmento de frutas, mas, na corrida generalizada das pessoas aos supermercados para estocar alimentos, chegou a ocorrer aumento de 25% a 30% no consumo. A abertura do mercado chinês ao melão brasileiro traz perspectivas promissoras

Thais D’Avila

A pandemia trouxe temor e perdas em diversos setores da economia. Mas, na fruticultura, apesar de tudo, o segmento atravessou o primeiro semestre de 2020 de forma positiva, considerando as conjunturas brasileira e mundial. O setor encerrou 2019 com sentimento de otimismo, sob o ponto de vista de questões climáticas, exportações e preços. Já em 2020, mesmo com as limitações no comércio, o mercado interno chegou a registrar um crescimento nos primeiros meses. O diretor-executivo da Associação Brasileira dos Produtores e Exportadores de Frutas e Derivados (Abrafrutas), Eduardo Brandão, explica que o fenômeno foi uma surpresa. “Lá no início da pandemia, a gente começou a estudar o assunto com preocupação. Mas, em fevereiro e março, chegou a ocorrer um aumento de 25% a 30% de consumo no mercado interno, e o mercado externo ficou estabilizado”, conta. Ele credita a elevação por conta da correria do consumidor aos mercados para estocar alimentos, e as frutas acabavam indo junto para o carrinho. “Passada a euforia, o consumo estabilizou nos patamares anteriores, registrando oscilações semanais, mas sem impacto importante”, explica Brandão. O presidente da Comissão de Fruticultura da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Luiz Roberto Barcellos, acredita que boa parte desse aumento no consumo dos brasileiros tenha se dado pela busca das pessoas por alimentos mais saudáveis e que aumentam a imunidade. “Outro fator é que as pessoas passaram a tomar mais café da manhã em casa, refeição na qual geralmente se come mais frutas. Os cafés da manhã no home office tenderam a ser mais d...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante desta revista, clique Aqui e Assine Agora!