A Granja do Ano – 36 anos da melhor prestação de informações e serviços ao profissional do campo.

Radiografia das principais atividades agrícolas, relação de instituições e empresas do agronegócio brasileiro.

Destaques Defensivos - Químicos

Lavoura protegida com segurança

Destaques

Além do portfólio para a proteção de cultivos, a Syngenta vem investindo em sementes e em ferramentas da agricultura digital

A Granja do Ano — Quais ferramentas a Syngenta utiliza para entender e se aproximar das demandas e dos desafios dos produtores brasileiros na área de proteção de cultivos?

André Savino — Proximidade e intimidade com o cliente é parte essencial da estratégia da Syngenta desde a sua fundação, e, para nós, é motivo de orgulho notar que isso é percebido e reconhecido no campo. Por meio das áreas de Marketing e Comercial, a Syngenta tem como focos prioritários a alta qualidade, a inovação e o relacionamento com clientes para gerir todas as marcas comerciais da empresa. E para realizar com contundência e maestria toda a nossa entrega de valor aos agricultores brasileiros, trabalhamos de modo totalmente alinhado a outras funções da companhia, como Sustentabilidade do Negócio, P&D, Supply, entre outras.

Quais são as mais recentes inovações e soluções da Syngenta em proteção de cultivos no Brasil?

Podemos destacar o lançamento do inseticida Proclaim, que atua no combate às lagartas de difícil controle, como é o caso da Helicoverpa. Registrado em mais de 90 países, o produto formulado a partir do benzoato de emamectina tornou-se o único do mercado a contar com aprovação nacional definitiva, tendo sido aceito pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), pelo Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) e pelo Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) para utilização nas culturas de soja, algodão e feijão. Tido como um aliado indispensável e de eficiência comprovada no combate às lagartas de difícil controle, Proclaim protege as plantas logo nas primeiras horas após a aplicação. Além disso, o produto é altamente seletivo e possui um amplo efeito de choque e residual.

Além do desenvolvimento de produtos, quais serviços a empresa oferece aos seus clientes para auxiliar na prevenção e no controle de problemas fitossanitários?

Além de contar com o portfólio líder de mercado em defensivos agrícolas e com uma robusta participação em sementes (segmento que ganhou ainda mais força após a aquisição da Nidera), a Syngenta tem investido fortemente, já há algum tempo, na seara da agricultura digital. O Brasil, sendo um grande celeiro dessa atividade, vai se destacar com esse movimento, e a Syngenta, pensando na necessidade de trazer novas soluções para os agricultores, firmou parcerias com empresas que estão despontando no segmento da agricultura digital. A aquisição da Strider, empresa genuinamente brasileira, colocou à disposição dos clientes da Syngenta um vasto portfólio de soluções digitais, que inclui identificação e monitoramento de pragas, doenças e daninhas, gerenciamento de atividades de campo, gestão da performance das máquinas, imagens de satélite para identificação de biomassa e gestão do planejamento de safra.

E quais ferramentas a Syngenta utiliza para estimular, junto aos produtores, as boas práticas em uso de tecnologias e aplicação de defensivos?

Em 2013, a Syngenta lançou, globalmente, o The Good Growth Plan, Plano de Agricultura Sustentável, composto por compromissos objetivos, mensuráveis e auditados, a serem cumpridos até 2020, divididos em três grandes pilares: aumento de produtividade, fomento à biodiversidade e cuidado com o trabalhador rural. Com metas claras e resultados publicados em uma plataforma aberta e acessível a qualquer indivíduo (Open Data), o plano segue evoluindo a passos largos, já tendo, inclusive, superado algumas metas estabelecidas no Brasil. Mais de 3,5 milhões de hectares tiveram sua biodiversidade fomentada no País desde 2013. Entre os projetos que colaboram anualmente para a evolução desse compromisso, vale destacar os que têm foco na coexistência entre apicultura e agricultura, e, por consequência, na disseminação de informações sobre a polinização, tema cujo interesse não se restringe ao campo, mas que envolve a sociedade como um todo. Em 2017, a Syngenta alcançou quase 110 mil pequenos agricultores no Brasil, permitindo que tenham acesso não apenas às tecnologias, mas aos serviços de assistência técnica com foco na aplicação das boas práticas agrícolas.

Destaques

André Savino, diretor de Marketing da Syngenta Brasil