A Granja do Ano – 34 anos da melhor prestação de informações e serviços ao profissional do campo.

Radiografia das principais atividades agrícolas, relação de instituições e empresas do agronegócio brasileiro.

Destaque 2017 Graneleiros JAN

Destaque

Reforço para o trabalho na lavoura

Carretas graneleiras desenvolvidas pela JAN auxiliam em diferentes operações e têm capacidade para agilizar a colheita em pelo menos 30%

Nome da empresa: Implementos Agrícolas Jan S/A

Sede: Não-Me-Toque/RS

Número de funcionários: em torno de 1 mil

Revendas no Brasil: aproximadamente 150

A Granja do Ano — Quais são as mais recentes inovações da JAN na sua linha de graneleiros?

Jerri Rietjens — A JAN vem constantemente inovando e acompanhando as mudanças no “mundo” das carretas graneleiras, mas estamos trabalhando com maior capacidade de carga e maior velocidade de descarga nos modelos que temos em linha e nos que estão sendo projetados. Naturalmente, também trabalhamos para que os equipamentos tenham versatilidade, ou seja, possam ter mais uma aplicação no campo como, por exemplo, abastecer a plantadeira com adubo, o que seria o segundo uso da máquina.

Qual é a importância de uma carreta graneleira de qualidade para o dia a dia do produtor?

A carreta graneleira tem capacidade de agilizar a colheita em pelo menos 30%. E isso atualmente é ponto fundamental se for levada em consideração a questão das estreitas janelas entre colheita e plantio. Isso é o ponto principal, mas poderia elencar ainda que uma carreta graneleira “economiza” a colheitadeira, já que evita de a própria colheitadeira servir de graneleira para levar o produto colhido até o caminhão. Assim, é possível evitar o desgaste desnecessário do equipamento, que é um alto investimento na lavoura, pois esse serviço de “leva e traz” é feito pela carreta graneleira.

Quais são os principais destaques e/ou investimentos da empresa ao longo de 2017?

Destaque

Jerri Rietjens é diretor da JAN

A JAN tem investido sistematicamente no melhoramento de seu potencial produtivo e foram feitos muitos investimentos em 2017. Tudo para ficarmos preparados a dar resposta ao mercado assim que se resolverem alguns problemas político-econômicos. Estaremos prontos para atender da melhor e mais rápida maneira nossos clientes.

E para o próximo ano, algum novo investimento ou projeto deve ser colocado em prática?

Certamente teremos outros investimentos. Claro que tudo baseado em uma normalidade de mercado, pois trabalhamos para estar sempre prontos a dar a solução esperada ao nosso cliente produtor.

Como analisa o mercado de máquinas e implementos agrícolas no Brasil neste momento?

O momento é de apreensão e expectativa. Da mesma maneira se comporta o cliente quando vai investir no seu parque de máquinas, em função de uma série de fatores que vão desde problemas políticos até instabilidades climáticas. Mas o Brasil tem um potencial enorme e é capaz de se superar em curto espaço de tempo. Enquanto isso, precisamos fazer nossa parte, que é trabalhar.

E quais são as expectativas para os próximos meses?

Sempre estamos prontos para o futuro. Claro que é difícil prever alguma coisa em um momento em que tudo muda rapidamente. Mas a esperança é de uma normalidade para o mercado neste segundo semestre de 2017.