A Granja do Ano – 34 anos da melhor prestação de informações e serviços ao profissional do campo.

Radiografia das principais atividades agrícolas, relação de instituições e empresas do agronegócio brasileiro.

Destaque 2017 Plantadeiras JOHN DEERE

Destaque

Plantio com maior precisão

Na hora de a semente ir para o solo, equipamentos da John Deere oferecem ao produtor mais agilidade e qualidade nas operações

Nome da empresa: John Deere

Sede: Indaiatuba/SP

Fábricas no Brasil: Horizontina/RS, Montenegro/RS e Catalão/GO. Duas em construção em Indaiatuba

Número de funcionários: cerca de 57 mil funcionários que integram as mais de 100 unidades distribuídas em 30 países

A Granja do Ano — Quais são as principais demandas dos produtores brasileiros quando pensamos em equipamentos voltados ao plantio?

Daniel Scalco — Os produtores brasileiros precisam de soluções que se adaptem às janelas de plantio cada vez mais curtas e, nesse contexto, uma plantadeira é o diferencial de produtividade, seja em termos de hectares plantados, seja em qualidade de plantio. Por essa necessidade de ter agilidade, é importante que os agricultores acompanhem, frequentemente, as máquinas durante o plantio a fim de fazer as regulagens corretas e garantir maior produtividade. Eles demandam treinamentos dos concessionários sobre as melhores práticas e como tirar o maior proveito do potencial do equipamento.

Quais são os principais destaques da John Deere na linha voltada ao plantio?

O que há de mais moderno nas plantadeiras John Deere é a tecnologia embarcada, que permite o aumento da capacidade automática, melhor qualidade de distribuição de sementes e profundidade correta. O destaque da John Deere é a Plantadeira Série 2100, que tem grande capacidade de carga de fertilizante e alcance de mais de 200 kg/ linha. Já os dosadores de fertilizante ProMeter do equipamento trabalham com precisão mesmo em terrenos inclinados, um diferencial importante de acordo com a região onde se está plantando e, por fim, há ainda o Sistema Dual Flex Pro, que permite que os chassis funcionem de forma independente para acompanhar o perfil do solo. A empresa conta também com as eficientes e versáteis Plantadeiras da Série DB, que são capazes de cobrir mais de 180 hectares por dia.

E quais são os grandes diferenciais desses equipamentos?

Destaque

Daniel Scalco é especialista em Soluções Integradas de Tratos Culturais da John Deere

Os diferenciais das Plantadeiras John Deere 2100 são vários. Podemos citar a caixa central de sementes, que gera abastecimento mais rápido e maior disponibilidade, facilidade de manutenção e regulagem, e o sistema de transporte acionado de dentro da cabine. As máquinas com o sistema de transmissão variável contam com o Seedstar 2, que monitora até 34 linhas de uma só vez, tecnologia que faz com que os ajustes da plantadeira e do piloto automático,o monitoramento de sementes e o desempenho estejam todos no mesmo monitor, o monitor GS3. Já nas Plantadeiras DB, os pontos mais relevantes são caixa central de sementes para abastecimento rápido de sementes e maior disponibilidade da plantadeira, facilidade de manutenção e regulagem, sistema de transporte acionado de dentro da cabine e transmissão variável.

Considerando o cenário do agronegócio e da economia brasileiros, quais são os desafios da indústria de máquinas agrícolas neste momento?

O período da demanda por máquinas e equipamentos agrícolas é de recuperação, como vemos nos números do setor da Anfavea (que teve aumento de vendas de 21,8% no 1º semestre de 2017, quando comparado com igual período do ano passado. No entanto, no mês de junho deste ano, as vendas decresceram 1,2% em relação a junho de 2016). “Dentro da porteira” a agricultura ainda tem respondido bem, por exemplo, tivemos novamente uma safra recorde. É resultado de um trabalho muito bom dos agricultores, algo que passa por uma gestão bem feita e pela adoção de tecnologia, de forma a ter mais produtividade sem aumentar área. Um dos maiores desafios, atualmente, é fazer com que os produtores entendam a importância das soluções e dos serviços e não apenas o produto pelo produto. A questão da conectividade no campo, do sinal de celular, também precisa passar por melhorias, de forma a possibilitar a coleta e a análise de dados em tempo real. O objetivo da tecnologia é possibilitar que o agricultor seja eficiente, independentemente do tamanho, de forma a aproveitar a capacidade produtiva da agricultura tropical e promover a rentabilidade com sustentabilidade.