A Granja do Ano – 34 anos da melhor prestação de informações e serviços ao profissional do campo.

Radiografia das principais atividades agrícolas, relação de instituições e empresas do agronegócio brasileiro.

Destaque 2017 Seguros BANCO DO BRASIL E MAPFRE

Destaque

O cultivo da tranquilidade

O Grupo Segurador Banco do Brasil e Mapfre disponibiliza ao produtor amplo portfólio de soluções em seguros rurais - inclusive a garantia de faturamento

Nome da empresa: Segurador Banco do Brasil e Mapfre

Sede: Brasíli

Segmentos agropecuários: grãos (verão e inverno), café, cana, algodão, hortaliças e frutas, eucaliptos e pinus (principais em florestas), gado de corte e de leite, aves e suínos

Principais produtos agrícolas: soja, milho safra e milho safrinha, frutas, trigo e arroz

Prêmios emitidos em 2016: agropecuário - R$ 1,135 bilhão; patrimônio rural - R$ 931 milhões

A Granja do Ano — Destaque os principais produtos que o grupo segurador Banco do Brasil e Mapfre disponibiliza ao produtor rural.

Wady Cury — O Grupo Segurador Banco do Brasil e Mapfre oferece um amplo portfólio de soluções em seguros rurais, com produtos que englobam diversos riscos em uma única cobertura (como seca, geada, granizo, chuva excessiva) ou, ainda, riscos nomeados, em que o beneficiário escolhe apenas as coberturas que correspondem aos eventos climáticos aos quais está mais suscetível. Dependendo da cultura, o produtor pode optar por uma proteção em que a quantidade e/ou qualidade da produção é coberta. O primeiro indeniza quando a produtividade obtida for inferior à produtividade segurada. O segundo, mais comuns para frutas e hortaliças, baseia a indenização nos critérios de avaliação de perda de qualidade da produção a ser comercializada. Há ainda os seguros que consideram a variação do preço como um evento coberto, associado a riscos climáticos, e têm sido disponibilizados para culturas que possuem referencial de preço em mercado futuro, disponível para as culturas da soja, do milho e do café. Com relação aos produtos ofertados pelo Grupo, destaco os produtos agrícolas para as culturas de grãos: soja, milho primeira e segunda safras, trigo, arroz, café; para algodão, frutas e hortaliças, assim como para florestas. Outra modalidade de seguro que o Grupo comercializa é o seguro faturamento, por meio do qual o produtor pode ser indenizado com a diferença entre o faturamento previsto garantido e o efetivamente obtido com sua produção. Oferece, ainda, seguros patrimoniais para máquinas e equipamentos agrícolas, assim como para a grande maioria das benfeitorias dos produtores, e seguros de vida ao produtor rural, cujo objetivo é liquidar a dívida do segurado em caso de invalidez permanente ou falecimento.

Quais as principais metas do Grupo Banco do Brasil e Mapfre para o ano agrícola 2017/18?

Destaque

Wady Cury é diretor geral de Habitacional e Rural do Grupo Segurador Banco do Brasil e Mapfre

Temos percebido um aumento pela procura por seguros rurais. Na última safra, os prêmios chegaram a R$ 1,834 bilhão. Parte dessa demanda decorre da percepção, por parte do produtor rural, da importância do seguro, tendo em vista as quebras de safra decorrentes de adversidades climáticas. O produtor já percebe o seguro como uma ferramenta importante de mitigação de risco, responsável pela manutenção da produção. Para este ano, a posição deve se manter: somos líderes no segmento de seguros rurais e nosso objetivo é continuar na liderança do segmento. Mas ainda há muito a crescer, até porque apenas 10% da área total agrícola do Brasil possuem seguro. Mas seria um desafio às seguradoras em razão da extensão do País e da diversidade de culturas seguradas.

Qual é o perfil do produtor rural que busca o seguro agrícola junto ao BB Mapfre?

A grande massa corresponde a médios produtores de grãos, sendo que o conceito de produtor médio varia muito de um estado para o outro. Pequenos produtores de grãos, frutas e hortaliças também têm aumentado a demanda pela proteção securitária, especialmente devido à maior vulnerabilidade a perdas financeiras que possam comprometer a permanência na atividade. A contratação ainda é relativamente baixa entre grandes produtores rurais, que costumam ter uma gestão do risco racionalizada sobre escalonamento de produção, variedade de culturas e dispersão geográfica. Para esses produtores, o mercado ainda precisa desenvolver produtos diferenciados.