A Granja do Ano – 34 anos da melhor prestação de informações e serviços ao profissional do campo.

Radiografia das principais atividades agrícolas, relação de instituições e empresas do agronegócio brasileiro.

Destaque 2017 Silos e Armazenamento KEPLER WEBER

Destaque

Safra muito bem protegida

Soluções de armazenagem da Kepler Weber valorizam os processos de pós-colheita, possibilitando o aumento da rentabilidade na hora da venda dos grãos

Nome da empresa: Kepler Weber S.A.

Sede administrativa: São Paulo/SP

Unidades industriais: Panambi/RS e Campo Grande/MS

Número de funcionários: cerca de 1,5 mil

A Granja do Ano — A Kepler Weber é líder no mercado de armazenagem de grãos no Brasil. Quais são os diferenciais da empresa para estar tanto tempo na preferência dos produtores?

Anastácio Fernandes Filho — Há 92 anos, a Kepler Weber oferece soluções de armazenagem e movimentação de granéis que valorizam os negócios de cada cliente, potencializando seus resultados. Contamos com uma estrutura ágil e capacidade fabril para fornecimento de soluções para mais de 5 milhões de toneladas/ano de armazenagem de grãos, atendendo desde pequenos produtores a grandes indústrias. A Kepler Weber se destaca pelos serviços que oferece, como assistência técnica e pós-venda, com atendimento especializado em todo o território nacional. Os três centros de distribuição de peças garantem rapidez e eficácia nas entregas. A empresa conta também com o Centro Tecnológico Kepler (Cetek), localizado em Panambi/RS, que opera com equipamentos de ponta e uma equipe multidisciplinar altamente qualificada que desenvolve projetos com tecnologia inédita no Brasil, resultado de parcerias com centros de pesquisas internacionais. O constante e expressivo investimento em inovação, a equipe qualificada e a força da marca permitem que a Kepler Weber desempenhe um importante papel no agronegócio mundial, presente há quatro décadas em mais de 40 países.

Quais são os destaques e as inovações mais recentes da Kepler para a armazenagem de grãos no País?

Um dos nossos princípios fundamentais é oferecer as melhores soluções para armazenagem, prezando sempre pela qualidade do grão. Por isso, constantemente aperfeiçoamos os nossos produtos e serviços. Este ano, lançamos no mercado o conceito de armazenagem inteligente, que proporciona soluções integradas, seguras e de alta tecnologia em armazenagem que maximizam resultados em toda a cadeia produtiva. Essa inovação garante os melhores resultados na armazenagem de grãos. Cada setor da unidade de armazenagem valoriza a produção nos processos de pós-colheita, aumentando a rentabilidade no momento da comercialização.

O Brasil está diante de mais uma safra recorde de grãos e um dos grandes desafios é justamente armazenar essa enorme produção. Quais são os gargalos que impedem um crescimento mais consistente da armazenagem no País?

Destaque

Anastácio Fernandes Filho é presidente da Kepler Weber

Historicamente, o Brasil é deficitário em armazenagem. Podemos melhorar essa questão com uma política de armazenamento e uma logística de escoamento mais moderna e atualizada, com preços mais transparentes e previsíveis. Outro fator que dificulta o investimento é o custo elevado do dinheiro. O Governo precisa disponibilizar linhas de financiamento com taxas subsidiadas, para contornar essa questão. Além disso, o preço das commodities não é remunerador. O produtor precisa saber de antemão qual o preço do grão, para que possa se planejar com mais assertividade.

E para os próximos anos, quais são as perspectivas para o mercado de armazenagem, considerando o potencial do Brasil no segmento e o cenário do agronegócio?

Recentemente, o Governo anunciou a liberação de recursos para o Plano Safra 2017/2018, e as linhas de crédito voltadas para armazenagem ligadas ao Programa para Construção e Ampliação de Armazéns (PCA) foram consideradas prioritárias. Nós recebemos essa notícia com otimismo, já que agora o segmento dispõe de uma taxa de juros atrativa, que passou de 8,5% para 6,5%, em um montante de R$ 1,6 bilhão em recursos. Esse, de fato, é um setor que precisa de investimentos. Nós sentimos que este ano será melhor. Com o novo Plano Safra, os produtores estão mais dispostos a investir, refletindo na intenção de compra do nosso segmento. Do lado do comprador, acreditamos que haverá menos restrições, e a análise de crédito deve ser facilitada. Isso vai ajudar o crescimento da armazenagem no Brasil.