Fruticultura brasileira trabalha por números melhores no mercado externo

A fruticultura brasileira não figura entre as 20 maiores exportadoras do mundo, apesar do País ser o terceiro principal produtor de frutas. E a agricultura brasileira gera uma série uma variedade enorme de espécies frutíferas, visto sua diversidade de solos e climas. Então, o que fazer para o País se tornar um gigante também nos embarques de frutas? Com as explicações - e planos e projetos -, o engenheiro-agrônomo pernambucano e produtor de frutas Guilherme de Souza Coelho, presidente da Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas e Derivados (Abrafrutas).

"Primeiramente um bom planejamento setorial, avaliando os mercados mais promissores e rentáveis, avançando com acordos comerciais e fitossanitários e adequando a produção às necessidades desses mercados. Importante aumentar o número de empresas exportadoras para atender à demanda internacional”, destaca Coelho. “Isso se faz com desenvolvimento de cultura exportadora, quebrando o paradigma de que exportar é muito complicado e arriscado”. “O Brasil tem potencial para atingir com a fruticultura a mesma relevância que tem com as carnes, o café, os grãos, o açúcar”

Data: 03/05/2021
Fonte: A Granja

Últimas notícias