Drones usam AI para detectar maturidade da soja

Pesquisadores da Universidade de Illinois, realizaram um estudo que prevê a data de maturidade da soja utilizando imagens de drones com inteligência artificial (AI) através de redes neurais convolucionais profundas (CNNs). O objetivo é acompanhar o desenvolvimento das lavouras em busca de plantas que apresentem características necessárias para a produção de novos cultivares, como por exemplo a maturidade precoce.

Em entrevista realizada para o portal Illinois Farmer Today, o professor assistente do Departamento de Ciências de Culturas de Illinois e um dos responsáveis pelo estudo, Nicolas Martin, explica que as CNNs são semelhantes ao cérebro humano, pois aprendem a interpretar os componentes das imagens dos nossos olhos — como cor, formato e textura — de forma parecida.

“A vantagem dos modelos de inteligência artificial que usamos é que o mesmo modelo pode ser usado para prever outras características, como rendimento ou acomodação. Portanto, agora que temos esses modelos configurados, deve ser muito mais fácil para as pessoas usarem a mesma arquitetura e a mesma estratégia para fazer muito mais coisas”, afirma.

Para chegar a esse resultado, o processo de automatização da AI foi bastante criterioso, já que foi preciso cinco ensaios, em três safras de cultivo de dois diferentes países.

“Digamos que queremos coletar imagens a cada três dias, mas um dia, há nuvens ou está chovendo, então não podemos. No final, quando você obtém os dados de anos ou locais diferentes, todos eles parecem diferentes em termos de número de imagens e intervalos e assim por diante ”, explica um dos pesquisadores, Rodrigo Trevisan.

Data: 18/01/2021
Fonte: Redação A Granja

Últimas notícias