Foco na aprendizagem e na cogestão de negócios

A edição de janeiro da A Granja – comemorativa aos 76 anos da revista – apresenta depoimentos de jovens produtores que atuam nas propriedades de suas famílias em diferentes estados do País. Um desses relatos é da engenheira agrônoma Noelle Viegas Folletto – a Nonô, como é conhecida.

Aos 33 anos, a produtora é sócia do pai na fazenda em Itaqui, na Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul. Ela define a relação da família com o campo como um amor que foi transmitido entre gerações. “Meu pai sempre me deixou livre para escolher o que eu quisesse, fui incentivada a estudar, a viajar. Ao mesmo tempo, ele gostava de levar eu e minha irmã para o campo para nos mostrar como tudo funcionava”, recorda.

O carro-chefe da produção é o arroz, mas a família também cultiva soja em rotação com o cereal e cria gado de corte. Nonô conta que ainda está mais envolvida com o operacional. Acompanha as lavouras, administra uma parte da logística de peças e insumos. “As principais decisões são tomadas pelo meu pai. Estou no processo de aprendizagem. Acreditamos na cogestão dos negócios, em aliar a experiência do meu pai com a minha energia”, diz.

Além do trabalho na propriedade, ela dedica parte do seu tempo às redes sociais, onde busca informar a verdade sobre o agro na página Nonô na Estrada, no Instagram. O relato completo dela e a história de outros jovens produtores estão nas páginas da edição especial de janeiro da revista A Granja.

Data: 15/01/2021
Fonte: A Granja

Últimas notícias