Exportação de máquinas cresce 16,9% em outubro, mas ainda é 1,3% menor no ano

A receita com exportações de máquinas para agricultura aumentou 16,9% em outubro ante igual mês de 2019, mas ainda acumula retração de 1,3%, quando considerado o período de janeiro a outubro em relação ao intervalo correspondente do ano passado. Os dados foram divulgados pela Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq).

O setor continua apresentando o menor recuo das vendas externas no ano, conforme a entidade. As reduções mais acentuadas, até outubro, foram verificadas nos segmentos de máquinas para logística e construção civil (-38,4%), petróleo e energia renovável (-33,5%) e de indústria de transformação (-29,2%).

Em outubro, a receita total com exportações apurada pela Abimaq, considerando todos os setores representados, foi de US$ 664,82 milhões, recuo de 8,8% ante outubro do ano passado. No acumulado do ano, o valor chega a quase US$ 5,997 bilhões, 26% abaixo do registrado no mesmo intervalo de 2019. “O timing da recuperação das exportações ainda é uma incógnita, diante da ameaça de segunda onda de covid-19 nos países desenvolvidos. O fechamento de fronteiras, restrições para comercialização e baixa demanda limitam a normalização das vendas de máquinas ao exterior”, explica a entidade em relatório.

Em relação às importações de máquinas para agricultura, houve aumento de 24,5% em valores em outubro, mas queda de 27,8% de janeiro a outubro, em ambos os casos tomando por base a comparação anual.

A Câmara Setorial de Máquinas e Implementos Agrícolas da Abimaq (CSMIA) reúne cerca de 400 fabricantes de máquinas para o setor, incluindo maquinário para preparo do solo, plantio, trato cultural, colheita, pós-colheita, criação de animais (pecuária, avicultura, suinocultura, piscicultura etc), tratores, estruturas para armazenagem de grãos, peças e componentes.

Data: 26/11/2020
Fonte: Estadão

Últimas notícias