RS: custos em outubro foram menores, mas preços ao produtor também caíram

O mês de outubro registra uma valorização do Índice de Inflação dos Preços Recebidos pelo Produtor Rural (IIPR) de 1,15%. Mas, no acumulado de 12 meses o indicador aponta uma queda de 1,21%. O Índice de Inflação dos Custos de Produção (IICP) do mesmo período também apresenta resultado negativo de 2,12%. Os dados compõem o Relatório de Outubro dos Índices de Inflação do Agronegócio do RS, divulgados pela Farsul, nesta terça-feira, dia 26 de novembro.

Este é o quinto mês consecutivo que o IICP tem queda, fechando outubro com resultado 0,06% menor que o mesmo período do ano passado. O destaque fica com os fertilizantes, com retração de 11%. O principal fator foi a variação cambial que teve um declínio no último mês. A economista do Sistema Farsul, Danielle Guimarães, indica o câmbio como principal fator na composição dos indicadores.

No resultado do IIPR está também o preço da soja influenciado pelo momento do grão nos EUA, "o principal fator de influência é a expectativa de uma queda na safra americana que parece se confirmar. O plantio teve atraso, a colheita está atrasada e com uma produção menor. Isso afeta o mercado internacional com a alta no preço do produto", explica Danielle.

Na relação com o IPCA Alimentos, fica comprovado, no curto prazo, o descolamento entre os preços que o produtor recebe e aquele pago pelos consumidores. Enquanto houve a retração de 1,21% no IIPR o IPCA Alimentos teve alta de 3,01% no acumulado em 12 meses. Nos primeiros cinco meses de 2019, o IICP valorizou mais rapidamente que o IPCA. Após, o acumulado passou a indicar a redução nos custos de produção, enquanto o IPCA elevou até atingir 2,54% em 12 meses.

Data: 26/11/2019
Fonte: Sistema Farsul

Últimas notícias