Ferrugem da soja: como monitorar via Consórcio Antiferrugem

Com o atraso das chuvas na maioria das regiões produtoras, a semeadura da soja na safra de soja 2019/20 também está atrasada. Um dos desafios para a soja são as doenças como a ferrugem-asiática da soja. A pesquisadora Cláudia Godoy explica em texto publicado no Blog da Embrapa Soja que, durante a safra, os registros de ocorrência da doença no Brasil podem ser consultados no site do Consórcio Antiferrugem e nos aplicativos. Além do site do Consórcio, o Paraná possui um projeto da Emater que monitora esporos da ferrugem-asiática com coletores. As informações sobre o projeto da Emater no Estado do Paraná podem ser consultadas aqui ou aqui

Para acompanhar a ocorrência da ferrugem-asiática no Paraguai há um mapa com parcelas armadilhas que podem ser consultadas no site da Mesa de La Roya, que já emitiu um alerta para intensificar o monitoramento em razão da presença de plantas de soja voluntárias com presença de ferrugem. Mapa com parcelas armadilhas do Paraguai.

Durante a safra, as ocorrências da ferrugem-asiática na safra são registradas no site do Consórcio Antiferrugem por técnicos de laboratórios de universidades, instituições de pesquisa públicas e privadas, fundações de pesquisa, extensão rural, assistência técnica e cooperativas. O mapa de ocorrências do site do Consórcio está disponível em aplicativos de celular e pode ser baixado diretamente na App Store e na Google Play. As informações sobre ocorrências de ferrugem-asiática nas regiões podem ser enviadas para cadastro no site pelo e-mail: [email protected], mas as primeiras ocorrências da safra sempre são confirmadas por fitopatologistas ou pesquisadores do Consórcio Antiferrugem.

Data: 30/10/2019
Fonte: Embrapa Soja

Últimas notícias