Florestas: já pensou em lucrar com APP e RL?

A restauração com espécies nativas e sistemas agroflorestais, além de ser obrigatório pela legislação ambiental brasileira, pode ser um modelo economicamente viável para os produtores. Sim, a exploração econômica de florestas nativas plantadas é muito mais simples legalmente do que o manejo de florestas naturais ou mesmo de eucaliptos. É o que destaca artigo veiculado pela edição de maio d'A Granja, texto de Alan Batista, analista de investimentos, Miguel Calmon, consultor sênior do programa Florestas, e Raul Silva Telles do Valle, consultor de políticas públicas, do instituto de pesquisas WRI Brasil, www.wribrasil.org.br.

"Por ser uma atividade que, além de gerar renda para o produtor, também exporta benefícios para toda a sociedade – incluindo os demais produtores rurais – há um grande incentivo legal para o reflorestamento com espécies nativas, dentro ou fora da Reserva Legal", lembram os articulistas. "O caminho está aberto para uma economia florestal de baixo carbono no Brasil, baseada em reflorestamento com espécies nativas e sistemas agroflorestais com a participação de milhões de produtores. Essa nova economia tem potencial para gerar empregos, produzir riqueza no campo e ao mesmo tempo proteger o meio ambiente e as florestas que cobrem o Brasil. É a revolução verde do século XXI".

Clique aqui e acesse a matéria completa.

Data: 16/05/2019
Fonte: A Granja

Últimas notícias