Qual é o lugar hoje da agricultura de precisão?

A agricultura de precisão já chegou ao platô da curva Gartner de desenvolvimento, que separa em cinco etapas o surgimento de uma nova tecnologia: 1 - o gatilho da tecnologia; 2 - o pico de elevada expectativa; 3 - o choque de realidade; 4 - a rampa da consolidação; 5 - o platô da produtividade. Mas será que a ferramenta depende somente de tecnologia para se firmar? A edição de setembro d'A Granja veicula artigo esclarecedor sobre o tema, de autoria de Vitor Inacio Maldonado, discente do curso de Mecanização em Agricultura de Precisão, Gustavo Di Chiacchio Faulin e Marisa Silveira Almeida Renaud Faulin, docente da Fatec Shunji Nishimura.

"Acentuadamente abordado no 1º Congresso Brasileiro de Indústria 4.0, em dezembro de 2017, o tema AP foi apresentado como exemplo bem aplicado de gestão personalizada, onde não há receita de bolo para o sucesso e sim um estudo cada vez mais abrangente e detalhado dos fatores influentes na sua operação, o que leva a uma tomada de decisão direcionada e embasada em conhecimento", lembram os articulistas. "Grande parte do movimento da terceira revolução industrial foi voltado para a automação e produção em larga escala, mas da mesma forma que nem todos os motoristas querem um carro da mesma cor, o solo também tem necessidades diferentes ao longo de uma área. Essa visão mostra que cada vez mais o conhecimento e a aplicação direcionada de recursos, torna todo o sistema produtivo mais eficiente e rentável".

Clique aqui e acesse a matéria completa.

Data: 19/09/2018
Fonte: A Granja

Últimas notícias