O Segredo de Quem Faz

Desafios do TAMANHO da produção

O engenheiro-agrônomo Fernando Cadore é o presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja/ MT) no triênio 2021/2023. Aos 41 anos, ele terá pela frente desafios proporcionais ao tamanho do estado que lidera o ranking da safra de grãos e que, no ciclo 2019/20, foi responsável por aproximadamente 10% da produção mundial de soja, com uma colheita de 35,4 milhões de toneladas. Cadore terá, na agenda dos próximos anos, o esforço por causas que incluem questões como armazenagem, logística e sustentabilidade. Para avançar nas propostas, ele conta com o engajamento de 7,2 mil associados e com o entusiasmo de trabalhar pelo setor. “O que nos leva à entidade de classe, que é uma atividade voluntária, é justamente tentar fazer a diferença, tentar ser a mudança”, define

Denise Saueressig
[email protected]

A Granja – De que forma você avalia esse desafio de liderar a Aprosoja/MT?

Fernando Cadore – O grande desafio é tentar traduzir as dificuldades dos produtores em pleitos coletivos, fazer com que a voz do produtor ecoe fora das fazendas. Esse é o papel da entidade, e é o que nos move. O sinônimo de ser produtor é ser resiliente. Quando passamos por um ano como este, o alento é que haverá um próximo ano. O que nos leva à entidade de classe, que é uma atividade voluntária, é justamente tentar fazer a diferença, tentar ser a mudança. Gostaríamos que cada produtor, quando tiver o seu tempo, trabalhe em prol da coletividade, porque, juntos, conseguimos ir rompendo as barreiras até chegar aonde o setor precisa chegar. A Aprosoja é um exemplo de engajamento. Hoje, são 7,2 mil associados, praticamente 95% dos produtores de soja e milho do estado.

A Granja – Quais são as prioridades para os próximos anos?

Cadore – Hoje, ...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!