Seed Point

A importância da ANÁLISE DE SEMENTES

Pela harmonia entre o processo de produção, o comércio e a fiscalização de sementes, são utilizados parâmetros que indicam a qualidade do insumo

Stephanie Regina de Jesus Souza, mestranda do Programa de Pós-Graduação em Agronomia/Fitotecnia da Ufla/MG; Raquel Maria de Oliveira Pires, professora da Ufla/MG, [email protected]; Joyce Aparecida Pereira, mestranda do Programa de Pós-Graduação em Agronomia/Fitotecnia da Ufla/MG

A utilização de sementes de qualidade dotadas de tecnologias sustentáveis é fundamental para o adequado estabelecimento de uma lavoura, e vai refletir diretamente na produtividade e no sucesso da agricultura. A qualidade da semente está relacionada a diferentes componentes individuais, como a pureza física, o potencial fisiológico, a pureza genética e o estado fitossanitário, que, quando avaliados em conjunto, propiciam um melhor conhecimento do valor real e do potencial de utilização de um lote de sementes. A garantia de uma produção de sementes que atenda a esses quatro atributos é dada pela adoção de rígidos e eficientes programas de controle de qualidade externo e interno por parte de quem produz sementes.

O controle de qualidade externo (CQE) é aquele realizado pelo Governo Federal, por intermédio do Ministério da Agricultura, que, por meio de fiscalizações de auditores fiscais federais nas etapas da produção de sementes, vai monitorar a qualidade e a identidade de sementes comercializadas no Brasil. Esses lotes de sementes são comercializados apenas quando se enquadram em determinados padrões de qualidade. Nesse particular, o controle de qualidade interno (CQI) é aquele executado pela empresa produtora de sementes, em todas as etapas do processo de produção, com o objetivo de identificar e avaliar problemas de qualidade e adotar ações preventivas que garantam a manutenção da qualidade. Por meio da rastreabilidade, ...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!