Primeira Mão

Números verdes

O Valor Bruto da Produção Agropecuária, a receita antes da porteira dos produtores e criadores, alcançou, no ano passado, R$ 871,3 bilhões, o maior valor desde o início da série histórica, em 1989. O crescimento real foi de 17%. O segundo melhor número se deu em 2015, com R$ 759,6 bilhões. As lavouras faturaram R$ 580,5 bilhões, alta de 22,2%; e a pecuária, R$ 290,8 bilhões, incremento de 7,9%. Os produtos com crescimento mais expressivo foram soja (+42,8%), milho (+26,2%) e carnes suína (+23,7%) e bovina (+15,6%). Os faturamentos de soja, milho e carne bovina foram de R$ 243,7 bilhões, R$ 99,5 bilhões e R$ 126,3 bilhões, respectivamente. Os bons resultados são consequência dos altos preços no mercado doméstico, das exportações aquecidas de grãos e carnes, além da safra volumosa.

7,9 milhões

De toneladas deverá ser o incremento da safra de grãos 2020/21 sobre a anterior, conforme o quarto levantamento da Conab, divulgado em janeiro. Ou 264,8 milhões de toneladas, 3,1% a mais que na temporada anterior. A soja participa com 50% da produção, ou 133,7 milhões de toneladas.

Sem cafeína

O Instituto Agronômico (IAC), de Campinas/SP, investirá em pesquisas para revolucionar as produções de café, cana e citros. É a chamada técnica “tesoura genética”, que possibilitará, por exemplo, retirar o gene da cafeína das plantas cafeeiras sem alterar o sabor e o aroma do café produzido.

Arroz for exportation

O Brasil exportou 1,6 milhão de toneladas de arroz de março a dezembro do ano passado. “Esse é o maior volume exportado de arroz pelo Brasil, no período de março a dezembro, desde 2011/12”, revela o diretor-executivo do Sindarroz/RS, Tiago Sarmento Barata. E os embarques deverão atingir 1,8 milhão até este mês. “O setor teve resiliência para atender às exigê...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!