Glauber em Campo

DEMANDA CHINESA POR MILHO É CRESCENTE. UMA OPORTUNIDADE AO BRASIL?

A China é nosso principal cliente da soja. A demanda do país pelo grão de ouro possibilitou a expansão da soja no Cerrado brasileiro; depois, com o surgimento da segunda safra no Centro-Oeste, o milho ganhou espaço, e passamos das 100 milhões de toneladas de produção. É notória a crescente importação chinesa de grãos, uma vez que – mesmo sendo um grande produtor de grãos (o segundo de milho) –, como tem a maior população e busca alimentá-la cada vez mais de proteína, o país se torna um cliente voraz. Já o aumento progressivo das importações de produtos destinados ao consumo é resultado do crescimento da classe média, da urbanização e da alteração das dietas da população chinesa, que passa, cada vez mais, a consumir carnes, lácteos, frutas, legumes, castanhas e produtos processados. De acordo com o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), entre 2000 e 2019, o consumo de óleo de soja quadruplicou, o de leite e derivados mais do que triplicou, e o de castanhas e nozes cresceu 300%. Isso acompanhado ao descompasso entre a velocidade de crescimento da demanda frente à oferta doméstica tem aumentado as exportações desses produtos. As importações chinesas de milho alcançaram 1,08 milhão de toneladas em setembro 2020, volume 675,1% superior ao registrado em setembro de 2019. No acumulado do ano, o país importou 6,67 milhões de toneladas do cereal. Segundo dados do USDA, as compras chinesas de milho americano para entrega no ano comercial 2020/2021 estão em cerca de 10 milhões de toneladas. E esse mercado importador crescente tem atraído os olhares do Brasil.

A demanda chinesa por milho levou a consultoria Agroinvest Commodities a afirmar que a China vai ser a maior importadora de milho do mundo. “Isso tudo é um reflexo da recuperação do rebanho na China após a Peste Suína Africana. O governo chinês tem feito leilões dos estoques, que hoje já estão no meno...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!