Agricultura 4.0

MOTORES ELÉTRICOS NA AGRICULTURA

Agricultura

A corrida para o desenvolvimento de carros elétricos segue a todo vapor na indústria automobilística, o que faz com que grandes indústrias do setor e as projeções futuras prevejam grandes transformações nos próximos dez anos. Com efeito, a venda global de carros elétricos em 2019 foi de 2,5% da frota, sendo que, em 2015, era de 0,6%, um aumento de mais de 400% em vendas. Somente no Brasil, a venda de carros elétricos aumentou mais de 220% em 2020.

O uso de motores elétricos em máquinas agrícolas não é uma novidade, visto que muitas possuem esses motores em controladores, atuadores e distribuidores dos equipamentos, porém de baixa potência. O que se pretende discutir neste texto é o uso de motores elétricos como a fonte primária de potência nas máquinas agrícolas. Inclusive, os russos já pensavam em motores elétricos no final dos anos 1940.

A questão do emprego desta fonte de potência nas máquinas agrícolas se acendeu pelo recente lançamento, por uma grande empresa do setor, de um equipamento híbrido. Todavia, fazendo uma pesquisa nos grandes fabricantes de máquinas agrícolas, praticamente todas já possuem seus protótipos desta tecnologia em suas engenharias, inclusive alguns bem robustos, 100% elétricos e prontos para serem comercializados, com motores chegando a mais de 400cv de potência. A título de esclarecimento, podemos classificar o uso dessa tecnologia em três formas principais: totalmente elétricos; híbridos plug-in, em que se abastece o motor a combustão; e elétrico e híbridos não plug-in, no qual o funcionamento do motor a combustão abastece o motor elétrico.

Pelo visto, é uma tendência tecnológica também no agro em substituição ou mitigação do uso de combustível fóssil na geração de energia para as máquinas agrícol...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!