Fitossanidade

Nematoides: o melhor MÉTODO DE ENFRENTAMENTO

Tratamento de sementes, uso de nematicidas no sulco, cultivares resistentes e/ou tolerantes, e sucessão/rotação de culturas? A resposta: depende da densidade de infestação

Mário Massayuki Inomoto, professor da Esalq/USP; e Rafael Galbieri, do Instituto Mato-Grossense do Algodão

Os principais métodos para o controle dos fitonematoides do algodoeiro são o tratamento de sementes (TS), a aplicação de nematicidas no sulco de semeadura (NSS), o uso de cultivares de algodoeiro resistentes e/ou tolerantes (AR ou AT), e a sucessão/rotação de cultura. O TS com nematicidas sintéticos ou biológicos, sendo simples e barato, é indicado quando a densidade do nematoide ainda é pequena e/ou as perdas mal começaram a ser percebidas ou incomodar o cotonicultor. Quando a densidade e/ou as perdas são moderadas, recomendam-se os NSS e os AR/AT, se possível em associação ao TS. Como orientação, recomenda-se uma escala de três níveis para densidade/ perdas (1-baixas, 2-moderadas, 3-altas), com três níveis equivalentes para intensidade de controle (1/2/3). O sucesso do controle depende da identificação correta do nível de densidade/ perdas e utilização da intensidade correspondente de controle.

Por exemplo, no TS, a quantidade de nematicida que cada semente carrega é pequena, suficiente somente para atingir e atuar sobre um número pequeno de fitonematoides. Essa é a razão pela qual o TS, como medida isolada, é válido somente para o nível 1 de densidade/perdas. Para os níveis 2 e 3, o TS sozinho não promoverá um controle adequado. Dentro do mesmo raciocínio, os AR/AT são tipicamente do nível 1 ou 2 e podem responder à associação com outros métodos de controle se a densidade do fitonematoide for excessiva (nível 3), pois existe um custo energético ou funcional para essa resistência, ou seja, a resistência não sai de graça para a planta.

Quanto mais nemat...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!