Dia do Agrônomo

ENGENHEIRO-AGRÔNOMO 5.0: o novo profissional

Conhecimento de pessoas, relacionamento, networking, negócios, gestão, resultados, marketing, liderança e solucionador de gaps. E as exigências vão muito além

Engenheira-agrônoma pela Universidade Federal de Goiás Alessandra Decicino, pós-graduada e especialista em Gestão do Agronegócio pela Universidade Federal de Lavras/MG, consultora em agronegócios e palestrante

No Brasil, celebramos, em 12 de outubro, o Dia do Engenheiro -Agrônomo, data recentemente comemorada em âmbito mundial, no dia 13 de setembro. A profissão, que foi regulamentada no Brasil em 12 de outubro de 1933, apresenta no campo, nestes 87 anos, uma constante evolução no perfil, na atuação dos profissionais e em sua importância na cadeia do agronegócio. Nesse contexto, há uma série histórica de fatores sociais, culturais e econômicos que remete à evolução do profissional no campo, como, por exemplo, acompanhando o desenvolvimento da agropecuária que faz o Brasil ser, hoje, um dos grandes players do mercado mundial na produção de alimentos, energia e fibras. Nos relatos mais antigos, percebemos a presença quase que exclusiva dos agrônomos de campo dedicados no acompanhamento de lavouras, culturas, cultivos e criações, ajudando o homem do campo no dia a dia, de safra a safra, em sua maioria homens, por exemplo. Essa imagem do tradicional, hoje, é completamente diferente.

O campo se transformou, o agronegócio evoluiu e, hoje, há fábricas no campo a céu aberto! Com o advento das tecnologias, principalmente nos últimos 20 anos, a agropecuária mudou, e o profissional que atua na cadeia, ainda mais. O Brasil se tornou uma referência para outros países para pesquisa, inovação, crescimento de áreas, aumento de safras na mesma área, novos patamares de produtividades, um campo completamente disruptivo. E o profissional acompanhou toda essa mudança.

Velocidade acelerada

Aos perfis que até então são focados nas atuações braçal ou tradicional – muitas destas nas produções –, hoje, é exigido um profissional amplo, completo e atualizado. O novo engenheiro- agrônomo 5.0 precisa de todas informações e conhecimentos técnicos, e em uma velocidade acelerada, para acompanhar um campo inovador e de ponta, sustentado por conhecimento de pessoas, relacionamento, networking, negócios, gestão, resultados, cadeia produtiva, marketing, liderança e solucionador de gaps personalizados. Temos um profissional completamente inovador para atender o homem do campo, o produtor rural que está cada vez mais informado, conectado, com mudanças de hábitos de consumo, tecnologias, pontos de vista. Um empresário rural que investe de forma intensa no campo e busca colher resultados crescentes e margens que viabilizem a atividade agropecuária.

Comunicação e presença on-line

Outra constante importante é a comunicação. Hoje, o produtor rural está presente em muitas redes sociais, principalmente as mulheres e os sucessores, as novas gerações. Se o profissional, antigamente, estava focado mais no dia a dia do off-line, dentro das propriedades pelo Brasil afora, junto com os pioneiros, hoje, além da presença no dia a dia do campo dentro do negócio rural, a presença on-line é fundamental. Observe como está sua comunicação e relação com os elos da cadeia, com toda essa nova vertente tecnológica e integrada.

Ofertar ao produtor interatividade e comunicação eficiente nas múltiplas plataformas e ter conhecimento e informações sobre o negócio, o mercado, o clima, os cenários e as tendências, as inovações, os lançamentos, os desempenhos de produtos, as experiências dos clientes no digital, a agricultura de precisão, os mercados financeiros, as informações de comportamentos e o consumo dos mercados de consumo são alguns dos índices indispensáveis para a nova realidade.

Percebemos que algumas gerações anteriores apresentam certa dificuldade para acompanhar este novo agro, mas vemos que a soma do conhecimento prático de campo com toda a inovação tecnológica é ideal para o engenheiro-agrônomo 5.0, o solucionador de problemas e agregador de resultados. É o profissional que detém conhecimento para somar com o agronegócio pujante nas vertentes econômica, social e ambiental – a tríade da sustentabilidade.

Mais profissionais mulheres

Nesta vertente, há também um campo mais integrado com homens e mulheres. A presença das engenheiras -agrônomas, entre outras profissionais de campo, mostra que a competência é o principal complemento para um bom posicionamento. Ainda há barreiras culturais e gargalos nesse sentido, sobre a presença da mulher no nosso setor, mas, na minha opinião, é o novo agro, somando com a diversidade, nosso grande potencial. Dentro e fora da porteira. Os profissionais que não acompanharem esta nova sinfonia perderão oportunidades.

Gostaria de mencionar que o campo evoluiu, e a presença de mulheres na liderança de grandes iniciativas, institucionais e corporativas, confirma que o novo agro 5.0 está presente nos nossos dias. Acredito que estamos em uma grande transição nesta realidade, com o alcance de números extraordinários no agro brasileiro e ótimas perspectivas. Mesmo com a pandemia, o campo vai precisar, cada vez mais, de profissionais engajados, atualizados e parceiros dos homens e das mulheres do campo. Muito foco em solução, gestão e alta performance.

Quem ganha com tudo isso é o campo, a cadeia do agronegócio e o Brasil. Tenho muito orgulho da minha profissão e do que estamos participando no contexto mundial! Parabéns a todos os engenheiros-agrônomos e as engenheiras-agrônomas.