Notícias da Argentina

PRODUTORES DE LEITE RECLAMAM DE PREÇOS E PEDEM APOIO

As associações de produtores de leite de Córdoba e Santa Fé reclamam que os valores pagos ao produtor não cobrem os custos nas propriedades. Em agosto, o valor médio do litro era de 18,33 pesos, ou R$ 1,35.

Os representantes dos produtores argumentam ainda que a demanda por produtos processados permanece sustentada e, os preços, firmes. “Diante disso, convocamos publicamente as câmaras industriais para considerar os preços pagos pela matéria-prima mais importante de seus produtos. É necessário que considerem nossa reivindicação, e dizemos ao Estado que deve ser um ator ativo e presente nesta situação. Não queremos que a crise continue a expulsar produtores da atividade”, diz um comunicado conjunto.


AUMENTO DAS EXPORTAÇÕES

A agroindústria representou 73,1% do total exportado pelo país no primeiro semestre do ano, segundo informações do Ministério da Agricultura. Esse valor é 8,6 pontos percentuais acima do registrado em 2019 (64,5%). Entre os principais destaques, estão a soja e o milho em grãos.


REJEIÇÃO ÀS NOVAS MEDIDAS ECONÔMICAS

O presidente do Banco Central da República Argentina (BCRA), Miguel Pesce, anunciou uma série de medidas cambiais tomadas em consonância com o Ministério da Economia e a Comissão Nacional de Valores Mobiliários que incluem limites à compra de dólares por empresas para quitar dívidas. O presidente da Sociedade Rural Argentina (SRA), Daniel Pelegrina, considera que as restrições cambiais distanciam ainda mais os investimentos e a geração de empregos, tão necessárias ao país. Segundo o dirigente, os efeitos colaterais terão impacto negativo nas empresas agroindustriais e acabarão sendo transferidos para os produtores. “A Argentina precisa de investimentos internos e externos. Essa é, sem dúvida, a forma de criar emprego e desenvolvimento, e todas essas medidas e sinais vão na direção o...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!