Primeira Mão

Parabéns, Goiás!

Pela primeira vez, Goiás será o número três na produção de grãos. Visto a estiagem gaúcha, o estado do Centro-Oeste assume a posição, atrás apenas de Mato Grosso e Paraná. Pela estimativa da Conab, os produtores goianos vão colher 27 milhões de toneladas no ciclo 2019/2020, 10% a mais que no anterior. Os gaúchos, há muito, donos do lugar no ranking, vão amargar 10 milhões de toneladas de perdas pela falta de chuvas. 10

75,6%

Foi a expansão das exportações de arroz em abril sobre o mês anterior. Ou 146,5 mil toneladas, sobretudo para os mercados de Cuba, Peru e Venezuela. Já as importações foram de 71 mi l toneladas, ou 46 mil a menos que março. “O crescimento das exportações e a queda das importações são reflexos do câmbio, que está impulsionando as vendas externas”, explica o diretorexecutivo do Sindicato da Indústria do Arroz no Estado do Rio Grande do Sul, Tiago Sarmento Barata. “A desvalorização do real deu mais competitividade ao arroz brasileiro.”

Ótima produtividade

No Rio Grande do Sul, responsável por 70% da produção nacional, a colheita está quase finalizada, e a produtividade média em torno de 8 mil quilos/hectare é considerada excelente. O clima com grande incidência de luz solar no período reprodutivo, em janeiro e fevereiro, justifica tal performance.

10,07 milhões

De hectares será a área de soja no Mato Grosso, na safra 2020/21, que arranca em setembro. Pela primeira vez, o estado que é campeão na produção do grão vai superar a marca de 10 milhões de hectares. A expansão será de 2,26%. E a produção está estimada em 34,7 milhões de toneladas, pequeno recuo previsto de 0,64%. As estimativas são do Instituto MatoGrossense de Economia Agropecuária (Imea).

80,3%

Foi a fatia do agronegócio de todas as exportações paranaenses no primeiro quadrimestre. Ou US$ 4,2 bilhões, com destaque a complexo soja, carnes e produtos florestais. E o estado representou 13,4% de tudo o que o agro brasileiro exportou no período, a terceira maior participação – atrás apenas de Mato Grosso (18,33%) e São Paulo (15,38%).

Cooperativas dão show em SC

As cooperativas catarinenses cresceram 13,71% no ano passado, ou 12 vezes a expansão do PIB nacional, com R$ 40,7 bilhões em receitas, conforme a Organização das Cooperativas de SC (Ocesc). No ano anterior, o crescimento tinha sido de 7,96%. A expectativa do segmento, no entanto, é que os bons números não se repitam em 2020, em razão da pandemia. O estado possui 254 cooperativas (agrícolas e urbanas), que reúnem 2,7 milhões de associados.

Recorde nos portos

As exportações do agronegócio de abril atingiram valor recorde para o mês: pela primeira vez, foi rompido o patamar de US$ 10 bilhões, um pouco superior aos US$ 9,65 bilhões de abril de 2013. Foram exatos US$ 10,22 bilhões, 25% a mais que o mesmo mês de 2019, então com US$ 8,18 bilhões. O número histórico se deu em razão, sobretudo, de embarques da soja em grão, 73,4% maiores, com 16,3 milhões de toneladas, ou quase 7 milhões a mais que em abril de 2019. Os embarques de abril foram os maiores até hoje em um único mês, superando os 12,35 milhões de toneladas de maio de 2018. E as exportações de soja deverão atingir 77 milhões de toneladas em 2020, 4% a mais sobre o ano passado, de 75,3 milhões. “A justificativa é a elevação da demanda nos principais mercados importadores”, destaca a Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove), que estimou as vendas de 2020.