Fitossanidade

Como fazer o preparo de misturas em tanqueComo fazer o preparo de misturas em tanque

O procedimento, regulamentado apenas em 2018, precisa atender a orientações sobre a sequência de adição dos produtos, os riscos de incompatibilidades físicas e químicas, tempo de armazenamento e da interferência de misturas

Engenheiros-agrônomos Rone Batista de Oliveira, professor da Universidade Estadual do Norte do Paraná (Uenp); e Dionísio Luiz Pisa Gaz- ziero, pesquisador da Embrapa Soja; agrônomos e mestrandos em Agronomia Antônio Augusto Corrêa Tavares, João Victor de Oliveira e José Gabriel Castilho Theodoro; e Adenilson de Souza da Silva, graduando em Agronomia na Uenp

O manejo fitossanitário utilizan- do-se a mistura de produtos em tanque é realidade no campo. No caso das plantas daninhas, um dos maiores problemas da agricultu- ra brasileira, representa uma opção barata e eficiente para controlar espécies tolerantes e resistentes aos herbicidas.

Pesquisa realizada por Gazziero (2015) em 17 estados constatou que 97% dos entrevistados utilizavam misturas em tanque e que em 95% destes se utilizavam entre dois e cin- co produtos. Hoje, com a Instrução Normativa nº 40, de 11 de outubro de 2018 (Mapa), a mistura em tan- que é regulamentada e permitida em receituário agronômico, desde que assinada por um engenheiro-agrô- nomo. Mesmo com essa liberação, os agricultores e técnicos carecem de informações em relação aos pro- cedimentos de preparo, a sequência de adição dos produtos, os riscos de incompatibilidades físicas e quími- cas, o tempo de armazenamento e da interferência de misturas no controle fitossanitário.

As propriedades dos ingredientes ativos determinam o tipo de formula- ção, e a maioria deles é desenvolvida para solubilizar em água. Portanto, a água é o solvente universal utilizado nas caldas de pulverização e pode in- fluenciar a calda preparada em função da sua qual...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!