Fitossanidade

Como fazer o preparo de misturas em tanqueComo fazer o preparo de misturas em tanque

O procedimento, regulamentado apenas em 2018, precisa atender a orientações sobre a sequência de adição dos produtos, os riscos de incompatibilidades físicas e químicas, tempo de armazenamento e da interferência de misturas

Engenheiros-agrônomos Rone Batista de Oliveira, professor da Universidade Estadual do Norte do Paraná (Uenp); e Dionísio Luiz Pisa Gaz- ziero, pesquisador da Embrapa Soja; agrônomos e mestrandos em Agronomia Antônio Augusto Corrêa Tavares, João Victor de Oliveira e José Gabriel Castilho Theodoro; e Adenilson de Souza da Silva, graduando em Agronomia na Uenp

O manejo fitossanitário utilizan- do-se a mistura de produtos em tanque é realidade no campo. No caso das plantas daninhas, um dos maiores problemas da agricultu- ra brasileira, representa uma opção barata e eficiente para controlar espécies tolerantes e resistentes aos herbicidas.

Pesquisa realizada por Gazziero (2015) em 17 estados constatou que 97% dos entrevistados utilizavam misturas em tanque e que em 95% destes se utilizavam entre dois e cin- co produtos. Hoje, com a Instrução Normativa nº 40, de 11 de outubro de 2018 (Mapa), a mistura em tan- que é regulamentada e permitida em receituário agronômico, desde que assinada por um engenheiro-agrô- nomo. Mesmo com essa liberação, os agricultores e técnicos carecem de informações em relação aos pro- cedimentos de preparo, a sequência de adição dos produtos, os riscos de incompatibilidades físicas e quími- cas, o tempo de armazenamento e da interferência de misturas no controle fitossanitário.

As propriedades dos ingredientes ativos determinam o tipo de formula- ção, e a maioria deles é desenvolvida para solubilizar em água. Portanto, a água é o solvente universal utilizado nas caldas de pulverização e pode in- fluenciar a calda preparada em função da sua qualidade e da quantidade. A qualidade da água está relacionada com as características físicas e quími- cas, tais como pH, solubilidade, con- centração de cátions, dureza, turbidez e temperatura. Todas essas caracterís- ticas podem ser alteradas pela fonte de captação de água (rios, açudes, poços artesianos) e estação do ano.

Sequência de adição dos produtos

No preparo da calda, é extrema- mente importante conhecer a sequência específica de cada produto, pois, em alguns casos, a compatibilidade ou não dos produtos, dependerá da sequência de adição no tanque. A sequência deve ser realizada de acordo com os tipos de formulações, viscosidade e solubi- lidade de cada produto. Para reduzir o risco de incompatibilidades físicas e químicas, também é importante levar em consideração a concentração dos produtos e as medidas operacionais, como a agitação da calda. No quadro nesta página é apresentada uma sequên- cia de mistura de produtos.

Prioriza-se colocar primeiramente a água em quantidade suficiente para que ocorra o turbilhonamento ou a movi- mentação do líquido em todas as partes internas do tanque. A tomada de decisão de adicionar ou não um condicionador de água dependerá de informações da qualidade da água, assim como o po- tencial da mistura em formar espuma.

Os demais adjuvantes podem ser Sistema de preparo de misturas em tanque Os três sistemas operacionais comumente utilizados para preparo de calda e adição no tanque de pulverização são denominados de incorporadores de calda, tanques de pré-mistura e calda pronta e concentrada. adicionados por último. Quanto aos fertilizantes foliares, existem inúmeras opções oferecidas, pouca informação da composição, doses, desconheci- mento das suas formulações e do risco de incompatibilidade, razão pela qual foi colocado um ponto de interrogação para os adjuvantes e os fertilizantes foliares no quadro.

Particularidades de cada local

Ainda há poucos estudos e evi- dências técnicas e científicas sobre esses sistemas. Há tendência de muitas melhorias e inovações, e os desafios são as inúmeras possibilidades de combinações possíveis praticadas em campo. Atualmente, a maioria dos produtos fitossanitários não contém, em sua bula, orientações de sequência de misturas, o que em nada contribui para a prevenção dos problemas. No preparo de caldas, cada propriedade tem suas particularidades, problemas e soluções específicas, e deverá ser analisada e orientada para evitar e corrigir os erros.

Bayer: portfólio para a sanidade da safrinha

Com um portfólio completo de produtos e serviços para as lavouras, a Bayer coloca seu time de especialistas à disposição para prestar suporte aos produtores de milho de segunda safra, um culti- vo que promete. “Está sendo um ano muito bom para milho, até porque o produtor teve a oportunidade de fazer a compra de in- sumos com o dó- lar mais bai- xo, e, agora, a moeda subiu”, afir- ma Laércio Bortolini, diretor de Negócios de Milho da Bayer.

Basf: podcast para prevenir o coronavírus no meio rural

Para contribuir com o combate à pandeo- mia do coronavírus, a Basf tem divulgado podcast com dicas de prevenção ao coronavírus no meio rural. “Seguimos com- prometidos em atender com qualidade os nos- sos clientes e parceiros, sempre respeitando as medidas necessárias de segurança para ga- rantir a saúde de to- dos. Neste momento de muita incerteza, a Basf agradece a cada um dos agri- cultores que está comprometido em produzir e abas- tecer o País”, ressalta Eduardo Novaes, diretor de Marketing da Basf.


“O Brasil é foco do avanço da Sumitomo Chemical no agronegócio"

José Paulo Fabretti, vice-presidente sênior da Sumitomo Chemical para a América Latina

Fale sobre a Sumitomo Chemical, quais são as áreas de atuação e a representatividade da empresa no mundo e na agricultura brasileira?

A Sumitomo Chemical é uma empresa centenária presente entre as maiores indústrias químicas do Japão. Foi fundada em 1913 e atua em mais de 180 países, com 32 mil colaboradores. Seu escritório central no Brasil fica na cidade de São Paulo. Focada em inovação, a companhia é altamente especializada no desenvolvimento de novas moléculas e soluções sustentáveis para a saúde e a proteção de plantas. No Brasil, a Sumitomo Chemical mantém um centro de pesquisas localizado na cidade paulista de Mogi Mirim. Com a aquisição da Nufarm, recém-consolidada, a empresa ganha ainda mais robustez e se converte em um dos importantes fornece- dores de defensivos agrícolas do Brasil e da América Latina.

O que significa para a Sumitomo na agricultura brasileira a aqui- sição da Nufarm?

Além do desenvolvimento de novas moléculas e da disponibilidade de um pipeline de agroquímicos de última geração, a Sumitomo Chemical passa a distribuir um portfólio robusto de tecnologias pós-patentes de alta qualidade. A companhia também ganha robustez em relação à sua capa- cidade produtiva, ao assumir a unidade industrial que pertencia à Nufarm em Maracanaú/CE. Assumimos, ainda, centros de distribuição localizados em regiões estratégicas, que agregam valor à logística dos produtos nos mercados interno e externo. Com essa plataforma de acesso ao mercado, estaremos preparados para oferecer ao agricultor um amplo portfólio de produtos e soluções sustentáveis para a agricultura brasileira.

E qual é o planejamento? Quais são as metas da empresa para a agricultura brasileira?

Pretendemos crescer a uma taxa entre 7% e 10% na América Latina e atingir vendas acima de US$ 1 bilhão, sendo que o Brasil deverá impulsionar as vendas de defensivos agrícolas da Sumitomo Chemical na região. Pode- mos adiantar, no momento, que esperamos desenvolver uma base sólida de relacionamento com os clientes do setor e alavancar a manufatura local de herbicidas, inseticidas e outros produtos. Teremos, portanto, amplo acesso ao mercado e uma equipe técnica estruturada e altamente preparada para atender o agricultor, os nossos parceiros e os distribuidores.

Na visão da Sumitomo, quais são os diferenciais e também as po- tencialidades para a empresa da agricultura brasileira?

O Brasil é foco do avanço da Sumitomo Chemical no agronegócio. Trata-se de um País extraordinário, no qual a atividade agrícola é a âncora da economia. É um player da produção de grãos, agroenergia, energia de biomassa, biocombustíveis e alimentos. Essas características permitirão à Sumitomo Chemical seguir comprometida com seus distribuidores, com a produtividade e a rentabilidade da agricultura, bem como contribuirá com nossa missão de promover o bem-estar oferecendo soluções sustentáveis para a produção de alimentos e a saúde da sociedade.