Solos

O potencial anticompactação das BRAQUIÁRIAS

Essas gramíneas apresentam maiores efeitos na melhora física do solo, devido à capacidade de descompactação biológica que promovem. A lembrar que o crescimento das raízes e da parte aérea das plantas comerciais é diretamente influenciado pela resistência do solo à penetração

Engenheiros-agrônomos e doutores em Agronomia Anderson Cristian Bergamin e Fábio Régis de Souza, professores da Universidade Federal de Rondônia (UNIR), Rolim de Moura/RO, [email protected] e [email protected]

Uma exploração agropecuária sustentável requer, entre outros fatores, a manutenção e/ou melhoria da qualidade física do solo. Porém o uso e o manejo inadequado do solo têm provocado a sua compactação, reduzindo a produtividade das culturas. Avaliar respostas das plantas a condições limitantes não tem sido tarefa fácil, particularmente condições abaixo da superfície do solo, que não podem ser prontamente visualizadas, como a compactação do solo. Um bom indicador da compactação no solo certamente é o sistema radicular, que percebe e integra todas as condições, no espaço e no tempo, de modo semelhante à parte aérea das plantas, indicando claramente que estresses na parte aérea e sistema radicular são igualmente importantes.

A análise da distribuição radicular no perfil do solo possui grande utilidade na avaliação e na identificação da compactação do solo. Para isso, abre-se uma trincheira, com a planta no estágio de maior desenvolvimento radicular (florescimento), e expõe-se parte de suas raízes para análise visual (Figura 1), buscando-se perceber se há sinais de limitações físicas. Aspectos como direção, espessura e aprofundamento das raízes são indicadores utilizados na identificação de restrições.

O crescimento das raízes e da parte aérea das plantas tem sido influenciado pela resistência do solo à penetração (RP). O uso de penetrômetro...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!