Primeira Mão

Embrapa, 47 anos

A Embrapa completou, no dia 26 de abril, 47 anos. A empresa, uma referência mundial em agricultura tropical, atualmente, trabalha em 850 projetos de pesquisa divididos nas suas 43 unidades. E a empresa pública vem trabalhando em proximidade com a iniciativa privada: em 2019, foram 157 novas parcerias, que se somam a 118 já existentes. No ano passado, o número de projetos com a participação direta da iniciativa privada passou de 5,9% para 12,1%. E a projeção é chegar aos 40% até 2022. “As parcerias ajudam o Brasil a avançar no protagonismo da produção de alimentos, de fibras e de fontes de energia”, destaca o presidente da instituição, Celso Moretti (foto). “A ampliação de projetos em parceria com o setor produtivo, sem dúvida, representa uma das prioridades, principalmente em função do impacto e dos benefícios, não só para a pesquisa agropecuária, como para os diversos segmentos do agro no âmbito do mercado nacional de tecnologia e inovação.”

90%

É o que representa a dobradinha milho + soja na safra de grãos 2019/2020. Mais precisamente, 88,97%. A produção da oleaginosa será de 122,1 milhões de toneladas, a maior até hoje no País – apesar da estiagem severa no Rio Grande do Sul. E representa 48,5% do volume total. Já o milho terá uma produção de 101,9 milhões de toneladas, ou 40,47% da colheita.

Mais embarques

As exportações do agronegócio brasileiro em março não foram afetadas pela pandemia global. Pelo contrário: o aumento das vendas externas foi de 13,3%, ou US$ 9,29 bilhões, sobre o mesmo mês de 2019, então com US$ 8,20 bilhões. O volume exportado aumentou 18,8% no comparativo. O incremento se deu pelos embarques de soja em grão (US$ 3,98 bilhões), açúcar (US$ 441 milhões) e carne bovina in natura (US$ 555 milhões).

Agricultura digital

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!