Primeira Mão

SRB com nova presidente

A Sociedade Rural Brasileira (SRB) elegeu, por meio de seu Conselho Superior, a pecuarista e socióloga Teresa Vendramini como nova presidente até 2022, em sucessão a Marcelo Vieira. Natural de Adamantina/SP, Teresa é da terceira geração de uma família que, há 80 anos, tem vínculo com o agronegócio e, hoje, gerencia propriedades em Flórida Paulista/ SP e no Mato Grosso do Sul. Nos últimos três anos, foi diretora de Pecuária da SRB, período em que promoveu eventos de capacitação para pecuaristas. “Fui até agricultores, dos mais simples aos mais tecnificados, conhecer na prática suas reinvindicações e os principais desafios. Essa aproximação é, hoje, meu diferencial para ajudar no desenvolvimento do agro brasileiro”, destaca a primeira mulher presidente da instituição, que, em 2020, chega a 101 anos de existência.

251,1 milhões

De toneladas. Esta é a mais recente estimativa da Conab para a produção brasileira de grãos da safra 2019/2020 que, se confirmada, será recorde (+3,8%, ou +9,1 milhões de toneladas sobre a temporada anterior). Já a área será 2,5% superior, 64,8 milhões de hectares, +1,6 milhão. São 45,6 milhões de hectares de primeira safra e 19,3 milhões de segunda, de terceira e de inverno. A soja ocupa espaço 2,6% maior e deverá render 123,2 milhões de toneladas, também colheita recorde, consequência do clima favorável. E a produção do milho de primeira, segunda e terceira safras deve atingir 100 milhões de toneladas, +0,4%. Já para o algodão, que entra no terreno ocupado pela soja, estima-se área 5,3% maior, para 1,7 milhão de hectares, e produção igualmente recorde: 2,82 milhões de toneladas de pluma.

Agromunicípios destaques

Os municípios que lideram o valor da produção de algodão, milho e soja são os que têm os maiores valores de PIB per capita entre as principais localidades agrícolas brasileiras. Foi o que apurou um estudo do Ministério da Agricultura que cruzou os dados da classificação dos municípios pela Pesquisa Agrícola Municipal, do IBGE, com o PIB per capita de 2017. Foram selecionados 20 municípios produtores de soja, milho, feijão, cana, café, algodão, arroz, cacau e laranja, que representaram 59% do valor da produção brasileira.

“Nota-se que esses municípios têm um PIB per capita mais de duas vezes maior do que a média nacional (de R$ 31.834,00). Campos de Júlio/MT teve PIB per capita de R$ 190.239,00, seis vezes maior do que a média brasileira. Sapezal/MT teve um PIB per capita de R$ 103.552,00 em 2018, mais do que três vezes o PIB per capita do País”, ressalta José Garcia Gasques, coordenador-geral de Avaliação de Políticas e Informação do ministério. Outros municípios também se destacaram, como Diamantino/MT (R$ 91.907,00) e Nova Ubiratã/MT (R$ 90.449,00).

Foram avaliadas 38 culturas permanentes e 33 temporárias, e, entre os 50 municípios com maior valor da produção agropecuária, 18 estão no Mato Grosso. Mas o primeiro do ranking é do Oeste Baiano, São Desidério, com valor da produção de R$ 3,6 bilhões, alta de 54,4% em relação a 2017, metade gerada pela soja, consequente de 1,6 milhão de toneladas. Na segunda posição está Sapezal/ MT, com R$ 3,3 bilhões (+28%) – sendo o algodão responsável por R$ 1,8 bilhão. Já Sorriso/MT caiu de primeiro, em 2017, para terceiro, com R$ 3,3 bilhões. SRB

A maior da América Latina

A Coamo Agroindustrial Cooperativa é a maior cooperativa agrícola da América Latina. A conclusão é de levantamento realizado pela Aliança Cooperativa Internacional (ACI) em parceria com o Instituto Europeu de Pesquisa em Cooperativas e Empreendimentos Sociais (Euricse), após análise de 4.575 cooperativas de todo o mundo. Segundo a ACI, o setor cooperativista (incluindo o segmento agrícola) tem mais de 1,2 bilhão de cooperados, gera mais de 280 milhões de empregos em cerca 3 milhões de cooperativas. A Coamo, sediada em Campo Mourão/PR, e com associados em 70 municípios de PR, SC e MS, vai completar 50 anos em novembro. No mês passado, em assembleia geral dos cooperados, o presidente do Conselho de Administração, Aroldo Galassini (na foto ao lado, ao microfone), anunciou que as receitas globais da Coamo, em 2019, foram de R$ 23,97 bilhões.

ILP: problemas & soluções

Pesquisadores da Embrapa mapearam os principais desafios para a adoção dos sistemas de integração lavoura-pecuária (ILP) em quatro estados: Acre, Pará, Mato Grosso e Rondônia. E concluíram que fatores como falta de mão de obra capacitada para a lavoura e a pecuária, necessidade de elevado investimento inicial, dificuldade de acesso a crédito, problemas estruturais de logística e obstáculos ligados ao mercado estão entre as principais dificuldades relatadas por produtores e profissionais. O trabalho também mostrou quais são os caminhos para que os sistemas integrados possam ser mais adotados. Detalhes sobre o estudo no site www.embrapa.br.

Laranja dá muito trabalho

A citricultura paulista gerou 48.196 admissões no ano passado, ou mais de um quarto das vagas no mercado de trabalho no estado (184,1 mil) e 7,48% no total brasileiro (644 mil empregos). Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). “Mais que um emprego, trata-se de um bom emprego, com todas as proteções legais e em regiões carentes de oportunidades”, ressalta o diretorexecutivo da CitrusBR, Ibiapaba Netto.