Futuro Máquinas – Automação?

Inteligência Artificial no campo

Expectativas e incertezas cercam o desenvolvimento de máquinas e soluções que aprimoram ou substituem o trabalho humano

Denise Saueressig [email protected]

Será comum, no futuro, vermos tratores sem operador ou sem cabine trabalhando nas fazendas? Sim ou não, a resposta está longe de ser definitiva, mas o fato é que grandes fabricantes de máquinas agrícolas vêm revelando, nos últimos anos, modelos de equipamentos autônomos e, claro, chamando a atenção de produtores no mundo todo.

Em novembro, durante a Agritechnica, megafeira de tecnologia agrícola realizada em Hannover, na Alemanha, a John Deere esteve entre as empresas que apresentaram diferentes soluções em inteligência artificial. Entre elas, um trator elétrico e autônomo (acima). “Por enquanto, o que observamos são conceitos, mas o desenvolvimento do mercado vai levar um bom tempo. Não há como fazer projeções, porque há uma série de questões que precisam ser trabalhadas, como aspectos de legislação. E ninguém vai colocar um produto no mercado sem saber quem assume os possíveis riscos em torno dele”, considera o professor José Paulo Molin, da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq/USP). Esse é o momento em que as empresas lançam as ideias e aguardam a reação dos produtores, que nem sempre é animadora, conclui o professor. “Sabemos que o agro é um setor com perfil mais conservador, então esse é um processo que depende de maturação”, acrescenta.

A área que envolve a robótica apresenta inúmeras possibilidades para o agronegócio, salienta Molin, lembrando que o conceito supera a automação e remete às máquinas tomando decisões próprias. “É um autômato. Um trator, por exemplo, que está plantando e encontrou um obstáculo na frente e precisa decidir o que fazer. É algo factível, especialmente à medida que contamos com o recurso dos percursos programados”, declara. Na Euro...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!