Summit Agronegócio

Tecnologias para o agronegócio se REINVENTAR

O Summit Agronegócio 2019 reuniu, em São Paulo, autoridades e lideranças para debaterem sobre as soluções inovadoras para o setor

Bruno Santos

A revolução tecnológica é realidade no campo, porém, com tantas opções à disposição, muitos produtores estão confusos por qual delas escolher. Para debater o assunto, realizou-se, na capital paulista, em novembro, a 5ª edição do Summit Agronegócio 2019. O evento reuniu autoridades e lideranças do setor, diretores e empresários, e teve como tema central a “Tecnologia para alimentar e preservar o planeta – O agronegócio se reinventa”. De acordo com o secretário de Agricultura e Abastecimento de São Paulo, Gustavo Junqueira, o grande desafio, hoje, é que o agronegócio seja reconhecido como setor de inovação. “A adoção de tecnologias para elevar a produtividade é crescente no País e deve ser prioridade para empresas, Governo e academia”, disse.

Durante os painéis e debates, foi mostrado como o setor agropecuário sofistica, ano a ano, o emprego de inovações para produzir com eficiência, elevando a produtividade, reduzindo custos e garantindo práticas ambientalmente sustentáveis. Uma das ferramentas apresentadas foi o Programa AgriHub, uma iniciativa da Famato, Senar/MT e Imea. Segundo Otávio Celidônio, superintendente do Senar/MT e coordenador do projeto, a iniciativa consiste em uma rede de inovação em agropecuária que identifica os problemas dos produtores e os conectam a startups, mentores, empresas de tecnologia, pesquisadores e investidores para desenvolver soluções.

“A grande novidade é que, ainda neste ano, vamos lançar a AgriHub Space, um local exclusivo que conectará empresas, startups e produtores rurais em um mesmo espaço colaborativo”, destaca Celidônio.

Investimento em tecnologia

O agronegócio vem despertando grande interesse de empresas e investidores ligados ao setor de tecnologia. Agtechs, fintechs, investidores-anjo, hubs e drones contribuem para o grande salto tecnológico que o campo vivencia. Esse foi o tema central do painel sobre tecnologia 4.0, que apresentou as iniciativas que mais se destacam. Um dos participantes foi Jair Afonso Swarowsky, vice-presidente da Corteva Agroscience, empresa apoiadora e principal patrocinador do evento. Segundo ele, a inovação está no DNA da Corteva, pois a empresa investe mais de US$ 1,2 bilhão por ano em pesquisa. “Estar neste evento é muito importante, porque a agricultura representa mais de 20% do PIB brasileiro, e a Corteva está posicionada como uma empresa puramente agrícola, e, por isso, temos que estar aqui apoiando”, destacou.

*A reportagem d’A Granja esteve no Summit Agronegócio 2019 a convite da Corteva Agriscience, uma das patrocinadoras do evento