Na Hora H

Para se considerar desenvolvido no agro, o Brasil Precisa de um novo salto

No setor agrícola, pode-se considerar que o Brasil deu o seu primeiro grande salto com a verdadeira revolução produtiva que se fez da década 1970, até 2020. Foram praticamente 45 anos em que se processaram as grandes transformações. Graças à ciência, à tecnologia e às inovações criadas por um grupo de jovens cientistas que tiveram as plenas condições de exercer com toda intensidade a sua vocação para resolver e criar soluções de uma agricultura tropical, antes inexistente. E que deu ao Brasil, sem dúvida, as condições para iniciar o seu grande salto

É evidente que, além da geração de conhecimentos e inovações, foi necessário se estabelecer também um sistema nacional de assistência técnica e extensão rural, que, além da transferência das inovações criadas, possibilitava – através de um sistema de crédito rural bem composto que trazia em sua essência a oportunidade –, a suficiência e as condições ideais para que o produtor bem assistido conseguisse trocar a sua maneira tradicional de produzir em um correto sistema de produção acompanhado de um esforço de criação e desenvolvimento de uma logística de transformação, transporte e armazenamento.

Tudo isso deu condições no início de promover o alto abastecimento em um país onde mais de um terço de seu consumo de alimentos era importado. E, rapidamente, na segunda fase, conseguiu conquistar mercados internacionais com uma capacidade competitiva invejável, transformando o nosso País de hoje no grande player da exportação de alimentos, em que se estima que já estamos abastecendo a alimentação de mais de 1,2 bilhão de habitantes em mais de 120 países.

Essa corrida para assumir a posição que hoje detemos exigiu dos produtores brasileiros o uso de sua competência de forma extremada, que, sem dúvida, faz deles os melhores do mundo. Somos, hoje, imbatíveis dentro da porteira de nossas p...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!