Internacional

Israel: esta startup nation promete ao agro brasileiro

Por isso, a 2ª Missão AgTech Israel, em fevereiro, vai integrar executivos, empresários, produtores, acadêmicos, startups, investidores e profissionais da agropecuária dos dois países

Marco Lorenzzo Cunali Ripoli, fundador da Bioenergy Consultoria

Como buscar o aumento da produção agropecuária utilizando menos recursos? Essa é, sem dúvida, uma das perguntas que têm incomodado produtores de todo o mundo. As projeções mostram que a população vai atingir 10 bilhões em 2050, e basta passar os olhos no mapa para ver que não existem muitos novos espaços apropriados à prática agrícola para serem desenvolvidos. E algumas dessas respostas podem ser encontradas em um país que, há décadas, busca soluções para a agricultura e a pecuária, principalmente por necessidade.

Foi com esse objetivo que, em setembro, foi realizada a 1ª Missão AgTech Israel, com executivos, empresários, produtores rurais, startups, investidores e profissionais da agropecuária para ampliar seus conhecimentos, criar iniciativas e ajudar a transformar o agronegócio brasileiro. O destino escolhido para a missão foi Israel, chamado de startup nation por ser um dos principais ecossistemas agtech e foodtechs do mundo, um feito ainda mais impressionante quando se leva em conta que o país tem apenas 2 milhões de hectares e 20% de terra agricultável.

Além desses dados, Israel surpreende por ter somente 70 anos de existência, uma população de 8 milhões de pessoas (0,1% da população mundial) e um PIB de cerca de US$ 303 bilhões. É um país, portanto, jovem, mas com uma história milenar. Possui um dos maiores índices mundiais de educação e satisfação de vida, uma das menores taxas de desemprego (5%) e faz parte da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

A força produtiva de Israel é ambiciosa, criativa e possui habilidades únicas, o...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!