Agribusiness

CAFÉ Comercialização ganha intensidade com melhores preços

Lessandro Carvalho - [email protected]

A comercialização de café no mercado doméstico ganhou um melhor ritmo na virada de outubro para novembro, diante da reação nas cotações na Bolsa de Nova York e do dólar mais elevado. Segundo levantamento de Safras & Mercado (ICE), até 11 de novembro, 62% da safra 2019/20 estava comercializada. Em relação ao relatório anterior, de 8 de outubro, a comercialização evoluiu em 9 pontos percentuais. As vendas estão adiantadas em relação ao ano passado, quando 59% da safra 2018/19 estava comercializada até então. A comercialização está exatamente na média dos últimos cinco anos, que é de 62%. Assim, já foram comercializadas 36,43 milhões de sacas de 60 quilos, tomando-se por base a estimativa de Safras, de uma safra 2019/20 de 58,9 milhões de sacas. Segundo o consultor de Safras Gil Barabach, as vendas da safra 2019 voltaram a ganhar intensidade. “O produtor aproveitou a alta no preço para acelerar os negócios, dando impulso à comercialização. A correção na ICE e depois a puxada no dólar serviram de apoio para o rali interno. Embora o produtor continue preferindo negociar os lotes mais fracos, a subida na cotação acabou elevando a oferta de cafés melhores às praças de comercialização”, comenta. A bebida dura com 15% de catação, que era negociada a R$ 400,00 a saca há menos de um mês, chegou a trocar de mãos a R$ 480,00 e gira, atualmente, entre R$ 465,00 e R$ 470,00 a saca. “Um ganho expressivo, que acabou sensibilizando o vendedor”, aponta.


SOJA Exportação prevista de 72,5 milhões de toneladas em 2020

Dylan Della Pasqua - [email protected]

As exportações de soja deverão totalizar 72,5 milhões de toneladas em 2020, subindo 4% sobre o volume de 2019, projetado em 70 milhões. A previsão faz parte do quadro de oferta e de...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!