Agritechnica

A surpreendente MEGAFEIRA de Hannover

Agritechnica

O superdrone VoloDrone, da John Deere, um modelo de demonstração, é considerado o primeiro passo para a aplicação comercial de pulverização por drone

A Agritechnica, maior feira agrícola do planeta, realizada no mês passado, na Alemanha, apresentou o mais avançado em tecnologias em máquinas e equipamentos agrícolas. Além de clarear algumas tendências – e que são para breve.

Gustavo Hoffmann

Agritechnica, feira bienal realizada em Hannover, na Alemanha, no mês passado: inovação em 2.750 estandes, na maior mostra tecnológica aplicada em máquinas e implementos agrícolas do mundo. Com 350 mil visitantes, um pouco abaixo da previsão, número que mostra uma desaceleração da economia de diversos países desenvolvidos e em desenvolvimento, gerando baixas expectativas no crescimento dos mercados globais. Brasil e Grécia são países fora desse contexto no momento, os únicos considerados em crescimento, conforme a agência Moody’s.

Porém, na agropecuária, há uma fantástica perspectiva em relação a como produzir, o que produzir e de que forma. Na feira, foi apresentado algo inovador, moderno, multiplataforma, de multiconcorrentes e multialternativas, independentemente de qual o objetivo que se tenha. Essa perspectiva pode ser do produtor agrícola ou pecuário em relação à aplicação da mais alta tecnologia em suas máquinas. Ou de pessoas que querem entrar no ramo industrial de tratores, máquinas e/ou insumos para máquinas. Nesse caso, há a liberdade de escolha de peças de alta tecnologia à disposição da criatividade, para quem quiser fazer acontecer – de um parafuso com grau de dureza superior ao sensor em 3D por radiação de calor projetado em monitor. Ou seja, a cadeia de peças mecânicas, elétricas, hidráulicas e eletrônicas se apresenta de tal forma evoluída e de fácil sincronia que, para aqueles que detêm o conhecimento, fica a possibilidade de invenção de qualquer tipo de máquina. Respeitando, claro, as necessidades do consumidor, caso queira comercializar seu invento. O mundo da Agritechnica é um espetáculo.

As novas tecnologias com base em informações e parâmetros inseridos em forma de inteligência artificial têm revolucionado, de forma criativa e contínua, todas as cadeias produtivas. Sejam elas ligadas a um fio, que une o controle elétrico hidráulico a um computador que parametriza seu controle nos tratores. Inovações desde uma semente de soja com inoculação no sulco, mais injeção de adubos fluidos e seus adjuvantes, de forma técnica superior e com controle total do plantio.

Difícil para o amante de máquinas conseguir, de forma razoável, entender o que acontece e o que está por vir em termos mecânicos. O que já podemos destacar é em relação ao plantio e à exatidão da profundidade da semente no solo, seja em solos irregulares, em solos mais duros ou mais macios, mais argilosos ou mais arenosos. Mecanismos eletrônicos que aferem a pressão de cada linha ao solo por sistema hidráulico fazem sucesso. E ainda tem os sistemas com molas helicoidais e os sistemas com balões de ar.

Outro destaque importante são as ferramentas de manutenção, todas as linhas da mecânica, representada por uma infinidade de ferramentas. Como a de estruturas de oficinas, por exemplo, elevador, torquímetros digitais acoplados em parafusadeiras elétricas e pneumáticas de alta potência, engraxadeiras elétricas recarregáveis e uma infinidade de facilidades para a manutenção das máquinas. Ainda engatinhando no Brasil, a inoculação e a adubação de fluidos no sulco parecem, neste momento, promissoras.

Drones e enfardadeiras gigantes

Em tratores, holofotes para muitos modelos. A Massey Ferguson lançou um conceito bastante interessante, no qual o operador fica no escritório e com uma viseira de projeção 3D. Ou seja, o trator está trabalhando sob comando humano e com todas tecnologias embarcadas, porém sem ninguém dentro da máquina. Modelos Dyna four e Dyna six da empresa altamente tecnológicos, com tomadas de força dianteira e hidráulicos dianteiros, conexões de engate rápido que não vazam, sistemas de low sense em tratores de baixa potência, além de ousadia de cores nos tratores.

Massey Ferguson: modelos Dyna four e Dyna six, altamente tecnológicos, além do lançamento de uma viseira de projeção 3D que permite operar o trator do escritório

Na parte fenação, foram apresentadas inovações nas enfardadeiras prismáticas gigantes, enfardadeiras de pré-secado câmara fixa, variável com plastificador, além de uma série de segadeiras espalhadores e leiradores de alto rendimento e fino acabamento.

ino acabamento. E, em plantio, a tecnologia embarcada da Precision Planting, que garante uma excelente distribuição de sementes, e o novo monitor 20/20 Geração 3 possibilitará que o produtor faça monitoramento de dados do implemento em tempo real, acompanhando informações linha a linha como população, singulação (falhas e duplas), espaçamento, velocidade de plantio, além de, claro, a injeção de inoculantes e fluidos orgânicos e minerais.

Agritechnica

Massey Ferguson: modelos Dyna four e Dyna six, altamente tecnológicos, além do lançamento de uma viseira de projeção 3D que permite operar o trator do escritório

Na John Deere, destaque ao superdrone VoloDrone, um modelo de demonstração, considerado o primeiro passo para aplicação comercial de pulverização por drone. Nesse modelo, já existem muitos números coletados em testes nas lavouras. O VoloDrone é impulsionado por 18 rotores e tem 9,2 metros de diâmetro, motores elétricos totalmente a bateria recarregável do tipo lithium-ion batteries. A bateria tem duração de 30 minutos, e a operação pode ser de duas formas: a primeira, quando o operador controla o drone de forma on-line. E a segunda, quando o operador planeja o trajeto e manda executar o serviço. Para uso na lavoura, o drone vem com dois tanques, uma bomba e uma barra com bicos.

Já nos tratores e nas colheitadeiras, destaque ao uso contínuo de pneus de alta flutuação nos tratores e lagartas de borracha em alguns modelos de tratores e em quase série nas colheitadeiras. Sempre lembrando que gera economia de diesel nesse tipo de pneus de alta flutuação. E mais: na aplicação correta, ou seja, na pressão ideal de trabalho, minimiza impactos na cabine do condutor, promovendo uma melhora na coluna cervical bastante interessante. Destaque para a colheitadeira X9, que tem motor de alta potência e baixo consumo de combustível, mais muita tecnologia de telemetria da máquina e da colheita. Já nos tratores, destaque ainda para a Série 7, como um trator de potência média e alta versatilidade e economia. A Série 8, com uma potência de arrasto excepcional, com tratores de potência até 458 cv.

A LS Tractor estava no evento com máquinas de fino acabamento e tecnologia. Com uma gama bastante diversificada de baixa potência, até 110 cv, destaque nos modelos maiores à tomada de força dianteira terceiro posto e hidráulico. E o trator minimultiuso com concha frontal e roçadeira entre rodas. A Fendt está consolidando parcerias para a aterrissagem no mercado brasileiro. Para a marca, destaque para o Trator do Ano 2020, o modelo 942 Vario, de 420 cv, cujas características positivas são apresentadas em uma grande quantidade de itens de série. Visual ultramoderno e cores muito bonitas, tecnologia de telemetria para todos os tipos de trabalho, sistema de transmissão com eficiência e suavidade a qualquer ordem de marcha, sistema de iluminação com lâmpadas de LED, múltiplos engates de tomadas elétricas hidráulicas traseiras, motor muito forte com sistema de consumo conforme a necessidade de potência, acabamento especular e conforto para o operador.

Participação brasileira

Ocupando 90% do espaço brasileiro na mostra, a Stara apresentou para o mundo suas máquinas criativas. Como o pulverizador autopropelido Imperador 4.0, com seu sistema exclusivo e patente mundial de barras de pulverização centralizadas, que garante uma excelente homogeneidade de aplicação de calda, com maior estabilidade e tração. E o Imperador 3.0, um pulverizador autopropelido com barras centrais, um distribuidor e um semeador pneumático, podendo realizar três operações com o mesmo equipamento em momentos distintos.

Já a Horsch, empresa alemã recentemente chegada ao Brasil, destacou-se pela paixão por produzir. Feita em fino acabamento e desenvolvida para o mercado brasileiro com testes a campo de milhares de horas de trabalho, a marca foi destaque da Agritechnica com uma gama enorme de plantadeiras de sistema de cultivo convencional, preparação, plantio e acabamento de lavoura. Destaque às plantadeiras de plantio direto e suas principais aptidões. A grande capacidade para adubo e semente, e a versatilidade e comodidade de recolhimento das linhas para o transporte em estradas. No Brasil, foram apresentados os modelos Maestro Kompass e Maestro SW, que vão de 18 a 50 linhas, para as culturas em plantio direto de soja, milho, sorgo e milheto.

Agritechnica

A Stara apresentou para o mundo o pulverizador autopropelido Imperador 4.0, com seu sistema exclusivo e patente mundial de barras de pulverização centralizadas

Logística interna e organização alemã

A expansão da logística interna das fazendas também foi enfocada. É fácil notar um grande mercado novo, de tratores loadall (telehandler) nas mais variadas marcas, modelos, tamanhos, e alguns com aplicação de tomada de força e hidráulico traseiro.

A Alemanha é um país organizado, com trens e metrôs em horários certos. País de respeito. No metrô, não há cobrança dos passageiros, pois eles adquirem o tíquete por conta própria. Um país de estrutura fantástica, sendo 31,7% do território coberto por bosques de árvores, com as três principais como espécies silvestres, sendo o pinheiro uma delas, cuja madeira é muito usada para a construção civil, móveis etc. Pode-se ver, também, o planejamento de grandes cidades em relação ao sistema de drenagem, tratamento de esgoto, não há poste de luz, pois todo o sistema elétrico é subterrâneo. Há muitas e enormes fábricas emitindo fumaça a menos de cinco quadras do Centro da cidade. Sistema rodoviário e ferroviário integrado com em alha gigantesca. Paradouros de descanso para caminhoneiros com estrutura e segurança, além de banheiros limpos e bonitos.

Um país que aboliu a sacola plástica, um país, hoje, multirracial, com muitas pessoas jovens na polícia e no controle das fronteiras. Na maioria dos lugares, você é muito bem recebido, e, em situações que necessita de ajuda, as pessoas são prestativas, educadas e calmas. Nos trens, é bastante comum as pessoas lerem livros. Porém, a luminosidade é bastante baixa, o frio é intenso, e, em geral, os produtores fazem uma colheita ao ano. O agronegócio na Alemanha significa 0,6% do PIB alemão.

As demais estruturas de máquinas e implementos agrícolas e de construção são altamente estruturadas e tecnificadas. Por terem toda essa infraestrutura, as pessoas trabalham menos horas. Portanto, é um país invejável em muitos pontos de infraestrutura. No retorno ao Brasil, nota-se o que nos falta aqui. Não há estrutura, e será preciso desenvolver, de forma contínua e duradoura, todos os itens básicos estruturais, como rodovias, ferrovias e sistema de esgotos, entre outros itens para a população. Anos de investimentos nas mais diversas áreas. Agradecimentos à Sociedade Agrícola Alemã (DLG) pelo convite à feira. O evento oportunizou também a troca de ideias com os mais diferentes profissionais dos meios de comunicação mundiais, de todas as plataformas de mídia agrícola. Obrigado, Alemanha.

* A reportagem d’A Granja esteve na Agritechnica a convite da DLG, a Sociedade Alemã de Agricultura

Agritechnica

A LS Tractor mostrou uma gama diversificada de baixa potência, até 110cv, destaque nos modelos maiores à tomada de força dianteira terceiro posto e hidráulico