Soja

Os adubOs verdes antinematoide Pratylenchus brachyurus

Soja

As crotalárias C. spectabilis e C. ochroleuca mostraram-se excelentes opções para o controle de P. brachyurus, pois reduziram a densidade populacional do nematoide, enquanto mucuna-preta, feijão-de-porco e lab-lab aumentaram em mais de 41 vezes a densidade do nematoide

Mário Massayuki Inomoto e Mariana Mailkut dos Santos, professor e aluna da Esalq/USP

Desde 2003, quando foram relatadas as primeiras perdas causadas pelo nematoide Pratylenchus brachyurus em soja no Brasil, a pesquisa tem procurado métodos eficazes e operacionalmente viáveis para seu controle. As primeiras tentativas visaram à identificação de cultivares de soja e híbridos de milho resistentes, com resultados decepcionantes ou contraditórios. A primeira tentativa bem-sucedida de controle foi por meio da substituição do milho safrinha pelo milheto. Porém o método mais eficaz tem sido o uso de duas crotalárias, Crotalaria spectabilis e C. ochroleuca, em sucessão com a soja e em substituição ao milho.

Soja

Figura 1 Soja em solo infestado por P. brachyurus após Crotalaria ochroleuca, C. juncea, C. spectabilis e guandu

As respostas desses adubos verdes têm sido mais estáveis que a dos milhetos, provavelmente pela maior uniformidade genética, pois, nas crotalárias, predomina a autofecundação. Alguns adubos verdes, como C. juncea e as mucunas, têm sido evitadas, por serem suscetíveis ao nematoide. Há outra crotalária muito resistente, C. breviflora, mas que não tem sido utilizada por ser muito suscetível a algumas doenças. E este artigo pretende discutir se realm...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!