Notícias da Argentina

NOVO MILHO TRANSGÊNICO

O Governo argentino anunciou a aprovação de um novo evento de milho transgênico. A tecnologia oferece proteção contra o ataque de insetos lepidópteros (Diatraea saccharalis, Spodoptera frugiperda e Helicoverpa zea) e tolerância a fitossanitários. “As melhores produtividades vêm com a incorporação de conhecimento no trabalho diário no campo. Este anúncio tem a ver com a importância de continuar estimulando o desenvolvimento científico em uma estrutura de agronegócio sustentável”, destaca o ministro de Agricultura, Pecuária e Pesca, Luis Miguel Etchevehere. Durante a presidência de Mauricio Macri, foram aprovados 25 eventos biotecnológicos – destes, 18 nos últimos dois anos de gestão. Desde a criação, em 1991, da Comissão Consultiva Nacional de Biotecnologia Agrícola (Conabia), foram aprovados 60 eventos, dos quais, 41% nos últimos quatro anos.

EXPORTAÇÃO PARA O CATAR

A Argentina conquistou autorização para a exportação de sêmen e cavalos em pé para o Catar. A medida envolve especialmente equinos para atividades esportivas. Segundo o presidente do Serviço Nacional de Segurança e Qualidade Alimentar (Senasa), Ricardo Negri, a negociação cria uma grande oportunidade. “O Catar é um país com muita atividade equestre, e o que queremos é que ele se torne um centro de logística para o fornecimento a outros países do Sudeste Asiático”, destaca.

MEDIDA BENEFICIA EMPRESAS DE TECNOLOGIA

O Governo aprovou a regulamentação do Regime de Promoção da Economia do Conhecimento, que oferece benefícios para empresas exportadoras de tecnologia e serviços. A Lei nº 27.506 estabelece incentivos fiscais a empreendedores e desenvolvedores de inovação para o agronegócio, empresas de software, informática, biotecnologia, indústrias criativas, entre outros.

TRIGO

Tanto a Bolsa de Cereais de Buenos Aires quanto a Bolsa de Comércio de Rosário reduziram suas expectativas em relação à colheita de trigo 2019/20, devido à estiagem de agosto e setembro passados. As estimativas, agora, são de 19,8 milhões de toneladas e 19 milhões de toneladas, respectivamente. As chuvas registradas em outubro atenuam, pelo menos momentaneamente, a condição de estresse hídrico, especialmente na margem Leste do país.

SOJA

A Bolsa de Cereais de Buenos Aires divulgou seu relatório pré-safra 2019/20, no qual ratificou que a área da oleaginosa crescerá 200 mil hectares, sendo a primeira alta em quatro ciclos. O informativo aponta para 17,6 milhões de hectares e produção de 51 milhões de toneladas, 7,4% inferior à safra anterior. A expectativa de produtividade é menor, uma vez que não são esperadas chuvas extraordinárias como as do verão passado.

CARNE

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (Usda) estima que as exportações argentinas de carne bovina crescerão 10,71% em 2020, atingindo um volume de 775 mil toneladas. Se a previsão se cumprir, as exportações confirmarão seu crescimento desde 2015, com uma expansão de 316% desde então, quando foram enviadas ao exterior 186 mil toneladas. O incremento é creditado à maior demanda da China e à estagnação do consumo interno.

LEITE

O Observatório da Cadeia de Laticínios da Argentina informou que o consumo per capita de leite diminuiu, neste ano, para 176 litros, o nível mais baixo desde 1990. A queda é parcialmente explicada pela alta dos preços. A associação de consumidores Deuco informou que, nos últimos 12 meses, o aumento chega a 92,7%. Osvaldo Bassano, da Associação de Defesa dos Direitos dos Usuários e Consumidores, afirmou que “La Serenísima detém 90% da comercialização de laticínios e, portanto, decide o preço graças à enorme concentração”.