Mecanização

O trator adequado à sua realidade

Mecanização

Antes de definir pela compra do trator, é fundamental ao pequeno agricultor detalhar o planejamento da futura utilização da máquina por meio de critérios técnicos e econômicos, para, assim, escolher – e acertar – a marca e o modelo a ser levado para casa

Mauro Fernando Ferreira, Antônio Lilles Tavares Machado, Ângelo Vieira dos Reis, Fabrício Ardais Medeiros e Roberto Lilles Tavares Machado, pesquisadores do Núcleo de Inovação em Máquinas e Equipamentos Agrícolas (NIMEq) da Universidade Federal de Pelotas/RS (UFPel)

Os tratores agrícolas são a principal fonte de potência, tanto a peque-nas quanto a médias e grandes propriedades, sendo classificados pelo tamanho e pelos acessórios instalados, o que proporciona maior ou menor nível tecnológico. Os mais indicados para a agricultura familiar se encontram em uma faixa de potência inferior a 58,8 kW (80 cv), os quais se enquadram no Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf Mais Alimentos). Segundo dados da Associa-ção Nacional de Fabricantes de Veículo Automotores (Anfavea), o principal uso do crédito vem sendo para aquisição de tratores destinados à agricultura familiar, que obteve uma tendência de crescimento de vendas nos últimos anos, principal-mente na faixa entre 37,0 kW (50,3 cv) e 55,0 kW (74,8 cv) de potência máxima no motor. Entre os anos de 2016 e 2017, foram vendidos aproximadamente 16 mil tratores, o que correspondeu a 40% dos cerca de 39.800 financiados.

Antes de selecionar uma máquina para a propriedade, deve-se fazer um detalhado planejamento da utilização por meio de critérios técnicos e econômicos para a tomada de decisão de qual marca e modelo a se adquirir. Um especialista na área de mecanização agrícola pode auxiliar nessa escolha em virtude das poucas características técnicas que permitam comparações disponíveis no Brasil pela ainda inexistência dos en-saios oficiais. Geralmente, o agricultor familiar leva em consideração, na hora de adquirir um trator, somente caracte-rísticas básicas – como marca, modelo, potência e preço –, não considerando fatores técnicos e econômicos. A sele-ção dos equipamentos agrícolas resulta do ajuste do planejamento da produção da propriedade com o mercado de má-quinas, obtendo-se a máxima eficiência com o mínimo de custos. Assim, é um problema complexo, em virtude de que a propriedade rural tem características únicas, se comparada a outras indústrias.

Os agricultores, comparativamente, possuem operações em pequena escala, e tarefas diversificadas que estão su-jeitas às condições especiais do local. Dessa forma, cada propriedade deve ser tratada com um planejamento especial. A produção agrícola é sazonal, logo os equipamentos agrícolas estarão muito tempo inativo.

O problema de selecionar as máqui-nas agrícolas eficientemente é um ajuste de fatores, tais como o desempenho dos implementos, a disponibilidade de potência, tarefas, perdas de tempo, cus-tos e retorno econômico adequado. Os pesquisadores do Núcleo de Inovação em Máquinas e Equipamentos Agrícolas (NIMEq), da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), têm se preocupado com o tema e desenvolvido metodologias de auxílio e apoio à decisão, baseadas em critérios técnicos, de custos, de ergo-nomia e de segurança. Visando a uma análise mais aprofundada sobre o tema, o NIMEq buscou dados de marcas e modelos de tratores agrícolas nacionais com potência máxima no motor de 58,8 kW (80 cv) que se enquadram no financiamento do Pronaf através dos dados técnicos dos fabricantes. Almeja--se, dessa forma, fornecer informações aos interessados na área de mecanização agrícola sobre alguns parâmetros técni-cos para auxiliar na seleção e na aquisi-ção de tratores. Entre as análises estão a operaçãorelação preço por unidade de potência no motor, eficiência da transmissão da potência do motor à tomada de potência (TDP), os índices NIMEq (depreciação, ergonomia, segurança, ruído e manuten-ção), entre outras.

Mecanização

Os agricultores fazem operações em pequena escala e tarefas diversificadas sujeitas a condições especiais, e, assim, cada propriedade deve ser tratadacom um planejamento específicosendo

Relação preço por unidade de potência no motor

Para a realização deste índice, foram analisadas 12 marcas no mercado nacio-nal (Agrale, Budny, Case, Coyote, John Deere, LS Tractor, Mahindra, Massey Ferguson, New Holland, Tramontini, Valtra e Yanmar) e 54 modelos, entre eles, 43 plataformados e 11 cabinados, sendo que a faixa de potência máxima dos motores variou de 11,0 kW (15 cv) a 58,8 kW (80 cv). Obteve-se, também, os preços dessas máquinas por meio da página eletrônica do Pronaf. De uma maneira geral, observou-se uma grande amplitude de preços, com aumento do preço de acordo com o incremento da potência no motor, sendo que os cabina-dos mais caros impactam cerca de 19,2% ao valor do trator. Observou-se que a relação preço por unidade de potência máxima no motor diminui à medida que a potência no motor aumenta, ou seja, quanto mais baixa a potência no motor do trator, inferior a 36,8 kW (50 cv), maior o custo dessa potên-cia, sendo grande a variação entre os modelos, em média R$ 3.348,66/kW (R$ 2.461,27/cv). O valor mais alto da relação preço/potência foi de R$ 5.063,58/kW (R$ 3.721,73/cv) para o menor modelo de trator pesquisado (Fi-gura 1). A partir de 36,8 kW (50 cv), essa variabilidade diminui, ficando, na média, em R$ 1.980,63/kW (R$ 1.455,76/cv).

Mecanização

Figura 1 – Relação preço/potência em função da potência máxima no motor e do posto de operação

Eficiência da transmissão da potência do motor à tomada de potência (TDP)

A potência disponível na TDP é determinada por meio de dinamometria e corresponde à potência transmitida do motor a este elemento, incluindo as per-das na transmissão, como a embreagem e engrenagens (sistema de transmissão). A eficiência na transmissão pode ser aferida através da medição da potência disponível na TDP e no motor. Como ocorrem perdas, a do motor é sempre maior do que na TDP. Valores de efi-ciência inferiores a 80% indicam grandes perdas no sistema de transmissão, além da possibilidade de valores incorretos, sendo que o recomendável é que esse valor seja superior a 85%. Os valores das potências no motor e na TDP devem ser obtidos através de ensaios realizados por instituições oficiais. Como, no Brasil, não existem esses organismos, procura-se obter tais informações por meio das pá-ginas e dos catálogos dos fabricantes, os quais, muitas vezes, não os apresentam.

O NIMEq coletou as informações disponibilizadas na internet pelos fabri-cantes de tratores das marcas brasileiras em modelos de até 58,8 kW de potência máxima no motor. Foram encontradas 13 marcas e 68 modelos de tratores, en-tretanto, devido à inexistência de dados fornecidos, utilizou-se efetivamente sete marcas e 37 modelos. Dessa forma, foi possível avaliar 53,8% das marcas e 54,4% dos modelos. Os resultados apresentaram eficiências de transmissão variáveis entre 63% e 94%, com média de 84%.

Índices NIMEq

No Brasil, o nível, a quantidade e a qualidade das informações técnicas são insatisfatórios, pois, como não há a obrigatoriedade de ensaios oficiais, os dados são, geralmente, de exclusiva responsabilidade dos fabricantes. Os ensaios foram extintos em 1989, quando foi encerrado o Centro Nacional de En-genharia Agrícola (Cenea). Desde então, não há mais dados e informações, salvo aqueles advindos de algumas instituições que, por insistência de seus professores, pesquisadores e grupos de pesquisa, pro-duzem documentos sobre o desempenho das máquinas agrícolas.

Mecanização

Quadro 1 – Exemplo dos índices NIMEq (DESRM) para a comparação entre marcas e modelos

De encontro ao que ocorre em máquinas agrícolas, para veículos automotores existem alguns grupos especializados que publicam dados e informações úteis para a sua seleção. O Centro de Experimentação e Segurança Viária (Cesvi) estuda detalhadamente os veículos oferecidos no mercado brasileiro e, após diversas análises, cria indicativos técnicos. Cinco índices (CAR Group, segurança, visibilidade, dano de enchente e comparativos de veículos) são divulgados em forma de rankings, que servem como critério de escolha para o mercado automobilístico, segurador, reparador e para o consu-midor final. A Latin NCAP tem como objetivos oferecer aos consumidores da América Latina e do Caribe avaliações independentes e imparciais de segurança dos carros novos e estimular os fabri-cantes a melhorarem o desempenho em segurança de seus veículos. Possui dois índices, sendo o primeiro em relação à proteção do passageiro adulto e o outro sobre a proteção do passageiro infantil.

Para os tratores destinados à agricul-tura familiar, o NIMEq trabalha com cin-co índices: depreciação, ergonomia, se-gurança, ruído e manutenção (DESRM). Com esses índices, busca-se oferecer aos agricultores e técnicos responsáveis pela seleção dos tratores avaliações independentes e imparciais, além de estimular os fabricantes a melhorarem o desempenho, seguindo as normas regulamentadoras e as leis pertinentes às suas máquinas agrícolas.

Utilizando o modelo do Quadro 1, interpreta-se que, para os índices de depreciação e manutenção, quanto mais cifrões, maior a perda de valor com tempo e custos de manutenção. Os de ergonomia e segurança, quanto maior o valor, mais ergonômico e seguro o mo-delo. E no ruído, quanto maior o índice, maior o ruído emitido na cabine ou na plataforma de operação, exigindo maior proteção ao operador ou menor tempo de exposição. Todos os índices variam em uma escala de um a cinco. De maneira geral, os tratores destinados à agricultura familiar possuem uma grande variação de preço de aquisição, e os sistemas de transmissão da potência do motor à TDP é boa, enquanto os índices NIMEq apresentam variação a ser considerada em um processo de seleção e aquisição em função dos modelos disponíveis no mercado. Nos índices de depreciação, manutenção e ruído, foram encontrados modelos entre um e cinco. Para ergono-mia e segurança, a variação foi menor, entre quatro e cinco, atendendo a requisi-tos, recomendando-se que o trator tenha cabine, assento confortável e adequado, comandos em locais de fácil acesso, pos-to de operação com dimensões internas adequadas, estrutura de proteção contra capotamento e cinto de segurança.