Produtividade

Os fundamentos da PRODUTIVIDADE

O conceito de eficiência agrícola expressa a relação entre a produtividade no talhão – a real, a obtida – e o potencial produtivo possibilitado pelo ambiente – o resultado que poderia ter sido atingido

Carlos Melo, Henry Sako, João Paulo de Sá Santas, técnicos DataFarm e DK Cien Agro; Rafael Battisti, Universidade Federal de Goiás; Anderson Guido e Thiago Ibanez, técnicos da Copasul

A produtividade agrícola é o resultado do potencial produtivo subtraindo os efeitos negativos da interação dos fatores clima, solo e manejo. O primeiro nível a ser considerado é a produtividade potencial, valor teórico, que é função da temperatura, da radiação fotossinteticamente ativa, do fotoperíodo, do CO2, e do genótipo, em que, por exemplo, na região de Sorriso/MT, o valor alcançado foi de 180 sacas/hectare. Como a soja, em grande maioria, é cultivada sem irrigação, deve-se incluir o efeito do déficit hídrico (função da quantidade e da distribuição de chuvas, e da exploração do solo pelas raízes para absorção de água), chegando-se na produtividade atingível, valor que é a meta a ser atingida nas áreas de sequeiro. No exemplo, a produtividade atingível foi de 102 sacas/hectare, em que o déficit hídrico foi responsável por reduzir a produtividade em 78 sacas/hectare.

Manejo

Após o clima, os manejos realizados na lavoura (controle de pragas e doenças, distribuição de plantas e entre outros) são responsáveis por reduzir a produtividade quando estes são limitantes, chegando, assim, à produtividade real observada no talhão. Nesse caso, a produtividade obtida no talhão foi 54,7 sacas/hectare, em que a quebra por manejo foi de 55 sacas (oportunidade de ganho de produtividade), ou seja, de um total de 102 sacas disponibilizado pelo...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!