Agricultura 4.0

GERGELIM

null

A convite de um Pool de Compras Agrícolas, estive palestrando, em julho, nas cidades de Jataí/GO, Silvania/ GO, Uruaçu/GO, Canarana/MT e Palmas/TO, sobre o manejo de nematoides em soja, milho, algodão e feijão. Foi uma troca de experiências bastante interessante com os produtores e consultores que participaram das palestras, e muitas coisas me chamaram a atenção nas cidades/ regiões visitadas. Contudo, uma delas achei bastante interessante e gostaria de dividir com os leitores nesta edição, relacionada com a cidade de Canarana/MT.

Segundo o Sindicato Rural do município, Canarana é responsável por 90% da produção de gergelim do País, com uma área estimada de 65 mil hectares plantados. O posicionamento de plantio da cultura é de segunda safra, após o cultivo da soja, que, segundo os técnicos da região, é uma opção boa por ser uma cultura mais rústica, menos exigente e que minimiza os riscos climáticos da região em relação ao milho safrinha. Esta cultura tem proporcionado bons resultados econômicos, sendo praticamente toda a produção daquela região exportada, principalmente para países asiáticos, Europa e EUA.

Também conhecido como sésamo, em referência ao seu nome científico, Sesamum indicum L., seu cultivo é pouco conhecido no Brasil. Todavia, ao se estudar mais sobre esta cultura, verifica-se que a Embrapa possui um programa de melhoramento e já desenvolveu, ao menos, cinco cultivares nacionais.

Do ponto de vista da comercialização, existem dois tipos básicos de gergelim, o branco (creme) e o preto, que têm como principais utilizações o consumo in natura e a extração do óleo. O consumo in natura é o destino da maior parte da produção, e o óleo é de elevada qualidade, e, em algumas cultivares, chega a uma concentração superior a 50%. No aspecto nutricional, o gergelim é rico em gorduras do bem (óleos benéficos), proteínas, fibras, cálcio, fósforo, ferro, manganês e vitaminas do complexo B (tiamina – B1, riboflavina – B2 e niacina – B3), tendo ainda algumas indicações terapêuticas, como, por exemplo, uma ação antioxidante.

Tecnologicamente, o gergelim esta adaptado ao cultivo nos sistemas de produção de culturas anuais brasileiro, porém o processo de estabelecimento da cultura deve ser cuidadoso devido à diminuta semente e ao crescimento inicial lento. A Embrapa já vem pesquisando esta cultura há tempos e, para quem se interessar, fornece informações básicas do seu cultivo no endereço: www.spo.cnptia. embrapa.br.

Obviamente, fui questionado na palestra sobre a questão dos nematoides no gergelim. Neste caso, poucos são os trabalhos sobre o tema devido a ser uma cultura, até então, não muito difundida. Mas, pelos poucos trabalhos existentes, o gergelim parece ser uma planta de sucessão ou rotação interessante para o manejo dos nematoides. A tarefa dos pesquisadores, agora, é aprofundar os conhecimentos sobre isso, como em outras coisas da cultura de demandas diretas dos produtores rurais.

Engenheiro-agrônomo, mestre e doutor em Produção Vegetal, pesquisador em Nematologia Agrícola e de Precisão em Proteção de Plantas, professor e diretor da Fatec Shunji Nishimura