Agricultura 4.0

GERGELIM

null

A convite de um Pool de Compras Agrícolas, estive palestrando, em julho, nas cidades de Jataí/GO, Silvania/ GO, Uruaçu/GO, Canarana/MT e Palmas/TO, sobre o manejo de nematoides em soja, milho, algodão e feijão. Foi uma troca de experiências bastante interessante com os produtores e consultores que participaram das palestras, e muitas coisas me chamaram a atenção nas cidades/ regiões visitadas. Contudo, uma delas achei bastante interessante e gostaria de dividir com os leitores nesta edição, relacionada com a cidade de Canarana/MT.

Segundo o Sindicato Rural do município, Canarana é responsável por 90% da produção de gergelim do País, com uma área estimada de 65 mil hectares plantados. O posicionamento de plantio da cultura é de segunda safra, após o cultivo da soja, que, segundo os técnicos da região, é uma opção boa por ser uma cultura mais rústica, menos exigente e que minimiza os riscos climáticos da região em relação ao milho safrinha. Esta cultura tem proporcionado bons resultados econômicos, sendo praticamente toda a produção daquela região exportada, principalmente para países asiáticos, Europa e EUA.

Também conhecido como sésamo, em referência ao seu nome científico, Sesamum indicum L., seu cultivo é pouco conhecido no Brasil. Todavia, ao se estudar mais sobre esta cultura, verifica-se que a Embrapa possui um programa de melhoramento e já desenvolveu, ao menos, cinco cultivares nacionais.

Do ponto de vista da comercialização, existem dois tipos básicos de gergelim, o branco (creme) e o preto, que têm como principais utilizações o consumo in natura e a extração do óleo. O consumo in natura é o destino da maior parte da produção, e o óleo é de elevada qualidade, e, em algumas cultivares, chega a uma concentração superior a 50%. No aspecto nutricional, o ...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!